sexta-feira, 22 de agosto de 2014

ESQUECE O SEU BEZERRO DE OURO

Arão fez o Bezerro de Ouro que os israelitas adoraram no ermo. Ainda assim foi perdoado.
Você ainda se apega ao seu bezerro de ouro?


O estudo de A Sentinela deste final de semana é um alento e tanto para pessoas que se sentem fracas ou desanimadas. E um verdadeiro tapa na cara daqueles que amam condenar ou julgar mal os que cometem erros. Eu estarei "ouvindo" o resumo, já que estarei assistindo o congresso, mas adoraria ver esse estudo sendo feito com perguntas e respostas.  

Talvez o ponto principal seja a pergunta que precede o parágrafo sete: Precisamos ajustar o nosso ponto de vista?

O que você faria se encontrasse um irmão dentro duma igreja evangélica cantando louvores ao deus trino ou se ele estivesse numa procissão ou se ajoelhando perante uma imagem? A visão é grotesca, mas se observarem, foi exatamente isso que estava fazendo Arão. Ele fez o bezerro de ouro para que os israelitas adorassem a Jeová!

O que fazemos quando encontramos um irmão enfraquecido espiritualmente? Vou até mais longe, qual nossa posição para com irmãos desassociados que não eram necessariamente nossos amigos? Temos a impressão de que às vezes somos vistos como alguém que merece o maior despojo. 

Sabe uma das coisas que mais eu sinto tristeza ao manter este blog? Quando eu recebo um email de ex-desassociado, que à época se sentiu fortalecido por algum texto ou pelos comentários de outros em sua situação, mas depois que foram readmitidos, me escrevem pedindo para eu apagar qualquer rastro de que ele um dia veio aqui.

Entendo que o fato de ter retornado significa, entre outras, que a pessoa não mantenha mais contato com desassociados. Mas precisa ser assim? Sinto aquela sensação de ingratidão, do tipo, quando precisei, aqui foi legal, mas agora não posso ser visto de forma alguma com vocês. 

Espero, sinceramente, que estes possam um dia repensar seus atos e que possam ser de ajuda aos que precisam de ajuda espiritual. 

Enfim, os que estão desassociados podem achar que são imerecedores das bençãos de Jeová, porém, mais uma vez Ele mostra o quanto é compreensivo e misericordioso e este estudo é uma das formas de demonstrar isso. 

Não importa, caro irmão, qual foi o bezerro de ouro que você construiu. Jeová lhe conhece e as intenções do seu coração. Quando voltar, poderá se beneficiar de saber que assim como Jeová cuidou de você enquanto desassociado, poderá ajudar os fracos, sentir empatia por eles, e tomar medidas práticas de continuar servindo a ele e encontrando meios de ajudar os que precisam voltar à sua Luz.


4 comentários:

  1. Estou desassociado há pelo menos 12 anos. Foi em 2002 aquele fatídico dia de junho de 2002. Não estava presente no dia do meu anúncio, porém tempos depois fiquei sabendo do choque por parte de alguns irmãos, inclusive meu instrutor (hoje ancião), que passou dias sem dormir, preocupado, choroso e adoentado, pois me tinha (ou ainda tem), como um filho.

    Posso contar-lhes rapidamente minha história?

    Conheci o Pai quando tinha 7 anos. Foi através da pregação de casa em casa.

    Comecei então a estudar, fiz progressos e me batizei aos 14 anos, hoje tenho 30.

    Me tornei piorneiro regular e assim foi, até minha desassociação que ocorreu da seguinte forma: 1º pedi a dissociação. Os anciãos, crendo que eu estava "pertubado" por conta da tenra idade (de fato estava), ignorou meu pedido e não quiseram me dissociar. Daí, 2º, inventei um monte de pecados que NÃO TINHA FEITO, para ser desassociado. Sim, um idiota, confesso!

    Pois bem, no dia do anúncio da desassociação eu estava em casa, e senti, (juraria se não fosse pecado jurar), o espírito de Jeová saindo da minha vida. Gente, um vácuo enorme tomou conta de mim aquela noite (e me acompanha até hoje). Foi incrível como uma tristeza desmedida se apossou de mim. Affe, soa meio "espiritualização demoníaca" isso, mas foi o que aconteceu.

    Estava feito! Fui desassociado e estava "livre" para curtir a vida de jovem que eu não havia experimentado ainda por estar com Jeová desde os 7 anos.

    Comecei em baladas, me viciei em cigarros (e estou até hoje, nos cigarros), e por aí a fora.

    Os anos se passaram...

    Comecei, algum tempo depois, sentir falta de alimento espiritual, pois havia me desfeito de toda publicação e material relacionado ao nome Jeová e sua organização...Vai vendo...

    Então, na ânsia de encontrar Jeová de novo, comecei buscá-lo em outras religiões (confesso que de todos os pecados esse é o que mais me envergonho). Ledo engano. Claro, como era de se esperar, não o encontrei!

    Começou o martírio.

    A fome aumentava, aumentava. Eu precisava, DESESPERADAMENTE, ler, ouvir, sentir alguma coisa proveniente de Jeová.

    Sabe o que me 'peguei' fazendo???

    Andando pelas ruas, em dias frios, chuvosos, buscando nas calçadas e guias, alguma publicação que algum morador tivesse jogado fora, para eu ler (devorar seria mais sensato).

    Lembro que, durante essas minhas andanças desesperadas, encontrei o tratado "Quando morre alguém que amamos", lembram?

    Não sei se ainda o publicam. Mas fiz desse 'pedaço de pão", meu almoço, janta, café da manhã, sobremesa, petisco, etc... Gente, eu já sabia de cor e salteado o conteúdo desse tratado, pois eu mesmo já o tinha pregado a alguém. Mas o lia e relia, e lia de novo, como alguém que nunca o viu. Santo Jeová, que saudade!!!

    Serviu de lição??? Não, o idiota aqui continuou no pecado. E a fome vinha, eu me alimentava, "sanava-a", voltava ao lamaçal...E o ciclo se repete há pelo menos 12 angustiantes anos.

    Para piorar, ninguém da minha família serve a Jeová. Sei que isso não desculpa. Mas que piora muito a situação, ahh, piora!!

    Não sei a situação de vocês, mas creio piamente, que o dono deste blog, foi imensamente usado por Jeová.

    O descobri hoje (09/10/2014), pois estou novamente naquela minha sedenta e faminta caminhada...

    Até quando vou suportar isso? Não sei.

    Mas decidi que realmente é hora da mudança. Pelo menos interior. Pois daí que se começa.

    Querido André, agora falo diretamente à você. Primeiro: não te conheço, ainda, mas TE AMO IRMÃO. Sim, IRMÃO. Porque para mim e isso que você e? meu IRMÃO. Nao sei como você esta hoje, espiritualmente falando, mas independente do que seja, volta mano. Volta!! Por favor, por Jeová, por sua família, amigos, VOLTA!!

    Falta tao pouquinho pro novo sistema. Tao pouquinho.

    Te amo maninho, de verdade! Ali[as, amo todos que um dia deixei pra tras, naquele maldito ano de 2002.

    Me chamem de Rafa. E caso queiram contato (o que me alegraria muito), meu email e rafaelrocha310@gmail.com

    Ate um dia, quem sabe no paraiso restaurado.

    ResponderExcluir
  2. Olá, sou o do primeiro comentário.

    Este mês comecei minha luta de retorno à Jeová.

    Breve, em alguns meses, lhes trarei boas notícias. Um post mais feliz e animador.

    Forte abraço meus queridos e eternamente amados, irmãos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O primeiro passo é voltar a ir nas reniões logo os anciãos vão te ajudar....

      Excluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.