quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

CURSO SUPERIOR





Tem uma coisa, que o tempo passou, as circunstancias atenuantes mudaram e ainda não entendo por que o Escravo ainda insiste: a capacitação em uma Faculdade ou Universidade. No estudo "Residentes Temporários num mundo mau", no parágrafo 11 os irmãos foram praticamente incentivados a não fazer um curso superior como argumento de não buscar um trampolim para o prestígio e a riqueza. A minha dúvida, e talvez tenha sido a minha deficiência em interpretar o texto, uma vez que os comentários dos irmãos na reunião - sem falar no fato de todo mundo condenando o "curso superior" ao mesmo tempo em que eles mesmos, ou seus filhos, fazem -  foram totalmente unilaterais, é se o conselho é não buscar o curso superior para ter prestígio e riquezas, ou se era para não buscar o curso superior em qualquer caso.

Vou citar um caso apenas para exemplificar a situação alarmante que um conselho desses pode causar na vida de uma pessoa. Lucian* era um jovem chileno que deixou de frequentar a universidade ou fazer uma especialização num curso técnico para servir como pioneiro regular. Casou-se com outra pioneira regular, e como pioneiros especiais mudaram-se para o Brasil, mais precisamente na região do interior do Goiás. Tudo ia bem até que a esposa dele engravidou. Numa gravidez de risco, o menino nasceu com autismo. Teve que deixar o serviço de pioneiro, e sem grana para poder voltar para o Peru fixou residencia numa cidade goiana próxima a Brasilia, e vive de pequenos bicos e de pequenos favores de irmãos, com alguma dificuldade, embora, graças a Jeová, sirva como ancião fielmente. Embora sua fé não tenha sido abalada, imaginou aonde quero chegar?

Há muito tempo, fazer uma faculdade ou se especializar numa educação superior, deixou de ser um trampolim para riqueza e sucesso. Hoje em dia, a falta de um diploma superior - mesmo aqueles cursos não presenciais de dois anos - pode causar a falta de um emprego melhor e um vida equilibrada que permita alguém a ter tranquilidade para servir a Jeová. É comum ouvirmos citação das palavras de Jesus em Lucas 12:22-31, mas sejamos sinceros; quem quer viver dependendo de solidariedade ou da boa vontade dos irmãos? Acho que o contexto dito por Jesus pode ser levado a outro sentido, talvez o de evitar o materialismo ou de colocar as riquezas acima do Reino, mas nunca como motivo para não deixar de se especializar.

Curiosamente, é um conselho que não só no Brasil, é violado por muitos e muitos jovens sob a conveniencia de seus pais. Aqui em Brasilia, praticamente grande maioria dos jovens ou faz faculdade ou curso preparatório para Concurso Público. Infelizmente, muitos deles de forma dezarrazoada, porque iludem dizendo que querem ser servidores públicos para "pode servir melhor a Jeová como pioneiro", mas quando conseguem, passam a acumular riquezas e diversão. Por fim, não quero julgar isso, mas sinceramente, incentivar os jovens a se entregar de corpo e alma, de qualquer jeito ao serviço integral, sem se preocupar com os imprevistos que pode ocorrer na vida da pessoa, um pouco temerário.

23 comentários:

  1. Acredito ser mais prudente fazer um curso à distância. Isso tem custo menor, evita o perigo das más associações e permite que o cristão assista todas as suas reuniões.

    ResponderExcluir
  2. Mas o perigo que um cristão passa na faculdade é o mesmo perigo que ele passa pelo colegial. A questão não é essa... a questão é: fazer um curso superior é recomendado ou não?

    ResponderExcluir
  3. Eu acho que o problema não está no curso superior, está na mentalidade da criatura que o faz. Afinal, conheço semianalfabetos tão materialistas que só pensam em ganhar dinheiro e pessoas com nível superior que levam uma vida equilibrada e exemplar na organização. A questão é: qual é a motivação por trás das nossas escolhas?

    ResponderExcluir
  4. Eu não acho que o curso superior garanta bons empregos. Conheço pessoas que ganham mais com seu ensino médio do que outros com o superior. Eu consegui um emprego porque meu contratante preferia a experiência que eu tinha do que simplismente a teoria de quem tinha feito a faculdade.
    Acho que se o escravo deu o conselho, o sábio é seguir e não ficar questionando como muitos apóstatas fazem. Imagino que se alguém faz o curso superior, mas não o coloca em primeiro lugar em sua vida não há problemas. O problema é quando a pessoa deixa o reino de lado. E acredite: as influências no colegial nem se comparam as influencias de uma faculdade.

    ResponderExcluir
  5. Entendo o que quis dizer com o texto. Acontece que algumas vezes alguns irmãos interpretam mal as orientações do escravo fiel. Para você ter uma idéia, aqui em minha congregação certa vez um ancião leu uma carta de Betel sobre uso de redes sociais e disse categoricamente que, segundo a carta, era errado ter uma conta numa rede social, que não era uma questão de opção da pessoa. Sabemos que não é essa a orientação de Betel. Simplesmente somos aconselhados a fazer uso correto da internet. Quanto a curso superior, se pesquisarmos bem nas publicações, nunca é dito que é errado fazer uma faculdade, mas que devemos tomar cuidado para que isso não abale a espiritualidade da pessoa. Conheço irmãos aqui em Goiás que fazem curso superior e nem por isso se tornaram descrentes. Acredito que a pessoa deva ser equilibrada. Servir a Jeová de toda a alma, mas fazer provisões para o futuro. Afinal, nem todos podem estar no serviço de pioneiro; apenas 10% das TJ servem de tempo integral, de modo que a maior parte do trabalho de pregação é feito pelos publicadores. Espero não ter parecido rebelde com essas afirmações, mas é o que entendo.

    ResponderExcluir
  6. acabei de ser selecionado pelo prouni para cursar uma faculdade particular aqui em São Paulo,faculdade sumaré em pinheiros,apesar de muitos acharem que não seja importante,sei que o meu futuro depende disso,até para conseguir uma colocação no mercado de trabalho.fico muito feliz de saber que existem pessoas sensatas e de mentes abertas,como você André,que apesar de todos os problemas que enfrentou continua sempre atenado.

    ResponderExcluir
  7. "Eu não acho que o curso superior garanta bons empregos."

    CONCORDO, EU SOU UM EXEMPLO, SOU ANALISTA DE SISTEMAS E TENHO SÓ O ENSINO MÉDIO. TUDO POR CONTA DA MINHA EXPERIENCIA DE 10 ANOS NOS SISTEMAS DA CAIXA. O PROBLEMA É QUE NEM TODO JOVEM TEM EXPERIENCIA, ENTÃO, O MERCADO DÁ PREFERENCIA A QUEM TEM ENSINO SUPERIOR NA SUA MAIORIA.

    "Acho que se o escravo deu o conselho, o sábio é seguir e não ficar questionando como muitos apóstatas fazem."

    SIGA O CONSELHO DOS BEREANOS QUE EXAMINAVAM CUIDADOSAMENTE AS ESCRITURAS. UMA COISA É QUESTIONAR PARA ATACAR, OUTRA É QUESTIONAR PARA ENTENDER MELHOR A SUA VIDA CRISTÃ. SABIA QUE MUITAS DECISÕES RETIFICADAS DO ESCRAVO SURGIRAM DE "QUESTIONAMENTOS" DE IRMÃOS AMOROSOS?

    "Imagino que se alguém faz o curso superior, mas não o coloca em primeiro lugar em sua vida não há problemas. O problema é quando a pessoa deixa o reino de lado."

    É JUSTAMENTE O PONTO EM QUESTÃO. SEGUNDO OS IRMÃOS QUE COMENTARAM NO SALÃO ONDE FREQUENTO, É ERRADO E PRONTO! O TEXTO NÃO É CLARO QUANTO A ISSO, OU SEJA, É ERRADO OU É ERRADO APENAS SE A PESSOA DEIXA O REINO COMO TRAMPOLIM PARA O SUCESSO?


    "E acredite: as influências no colegial nem se comparam as influencias de uma faculdade."

    DISCORDO! COISA QUE VC SÓ ENCONTRA NA FACULDADE É INFLUÊNCIA POLÍTICA, ENTÃO PRECISA TER PERSONALIDADE FORTE. FORA ISSO, DROGAS, VIOLÊNCIA, SEXO, BATER EM PROFESSOR, ROUBAR COLEGAS, BULLING, TUDO JÁ SE APRENDE COM 12 ANOS NO ENSINO FUNDAMENTAL.

    ResponderExcluir
  8. Queria dizer o seguinte,a maioria dos estudos de "A SENTINELA" é assunto repetido,visto de um outro prisma,ou com algum detalhe a mais.Por isso que seria bom que,ao nos prepararmos para o estudo consultássemos os mesmos assuntos em edições diferentes.Quando não se faz isso gera confusão em alguns,como o caso da desassociação,visto que certos detalhes não são considerados por extensão,depende do foco do estudo.Em suma,no caso de se cursar uma faculdade o que acontece é o seguinte:decisão pessoal.Os irmãos incentivam mais um curso profissionalizante,pois além de demandar menos tempo e gastos nos permite continuar alertas.André,é evidente que a faculdade tem algo diferente quanto a associação,não sei te precisar o porque,mas errado não é.Os irmãos do corpo governante são práticos e sabem o que estão dizendo,mas cada qual é responsável em tomar sua decisão pessoal,cabe a eles apenas mostrar o perigo.Segue um trecho da W96 pg 19:" Quanta educação secular devemos querer obter? Isto pode variar de país em país. Mas, se o mercado de trabalho requer treinamento além do mínimo exigido por lei, cabe aos pais orientar os filhos na decisão da educação ou do treinamento suplementar, levando em conta tanto os benefícios em potencial como as desvantagens de tais estudos adicionais. No entanto, qual deve ser o motivo de se escolher educação adicional quando isso parece necessário? Certamente, não de obter riquezas, glória ou louvor. (Provérbios 15:25; 1 Timóteo 6:17) Lembre-se da lição que aprendemos do exemplo de Jesus: a educação deve ser usada para dar louvor a Jeová. Caso escolhamos obter educação adicional, nossa motivação deve ser o desejo de sustentar-nos de forma adequada, a fim de que possamos servir a Jeová o mais plenamente possível no ministério cristão. — Colossenses 3:23, 24".O mesmo assunto com o detalhe que cabe a decisão pessoal.

    ResponderExcluir
  9. Obs.A referência para pesquisar é "EDUCAÇÃO SECULAR".

    ResponderExcluir
  10. "Portanto, quando pais e jovens cristãos, hoje em dia, depois de avaliar com cuidado e oração os prós e os contras, decidem a favor ou contra estudos depois da escola secundária, outros na congregação não devem criticá-los.Quando
    pais cristãos de modo responsável decidem prover aos filhos uma educação adicional, depois do segundo grau, isto é prerrogativa deles. O período destes estudos varia segundo o tipo de ofício ou de ocupação escolhido. Muitos pais cristãos, por motivos financeiros, e a fim de habilitar os filhos a ingressar no serviço de tempo integral o mais cedo possível, escolheram para eles programas de estudo de curta duração, em escolas profissionalizantes ou técnicas. Em alguns casos, os jovens tiveram de trabalhar por algum tempo como aprendizes em determinado ofício, mas tendo sempre em mira uma vida plena de serviço a Jeová.
     Caso se façam cursos adicionais, o motivo certamente não deve ser o de se destacar em erudição ou de empenhar-se por uma prestigiosa carreira no mundo. Os cursos devem ser escolhidos com cuidado. Esta revista tem colocado ênfase nos perigos da educação superior, e isto é justificável, porque grande parte da educação superior se opõe ao “ensino salutar” da Bíblia. (Tito 2:1; 1 Timóteo 6:20, 21) Além disso, desde os anos 60, muitas escolas de ensino superior tornaram-se berços de iniqüidade e de imoralidade. “O escravo fiel e discreto” tem fortemente desestimulado ingressar em tal ambiente. (Mateus 24:12, 45) Deve-se admitir, porém, que os jovens, atualmente, se confrontam com esses mesmos perigos nas escolas secundárias e em escolas técnicas, e até mesmo no lugar de trabalho. — 1 João 5:19.
    19 Caso se decida por uma educação suplementar, a Testemunha jovem fará bem, se de todo possível, empreendê-la morando com os pais, para poder manter assim os hábitos cristãos regulares de estudo, de assistência às reuniões e de atividade de pregação"(W92 pg 12).

    "No caso de alguns cristãos, a educação adicional, seja em forma de estudos acadêmicos ou cursos profissionalizantes, lhes deu condições de sustentar a família. Cuidar da família é correto, pois ‘fazer provisões para a família’ é um dever sagrado. (1 Timóteo 5:8) Adquirir as habilidades necessárias para isso é uma questão de sabedoria prática.
    Mas os que acham necessário estudar além do básico para alcançar esse objetivo devem pesar os riscos e os benefícios. Os possíveis benefícios incluem a qualificação para conseguir um emprego que habilita a pessoa a sustentar a si mesma e a família de forma decente, ao passo que realiza o ministério cristão de forma zelosa. Além disso, ela pode estar em condições de ajudar a outros de forma material, ‘tendo algo para distribuir a alguém em necessidade’. — Efésios 4:28.
    E quais são os possíveis riscos? Esses podem incluir expor-se a ensinos que minam a fé em Deus e na Bíblia. Paulo aconselhou os cristãos a se acautelar contra o “falsamente chamado ‘conhecimento’” e ‘a filosofia e o vão engano, segundo a tradição de homens’. (1 Timóteo 6:20, 21; Colossenses 2:8) Inegavelmente, expor-se a algumas formas de ensino pode prejudicar a fé do cristão. Os que pensam em estudar mais ou fazer cursos adicionais devem estar cientes do risco dessas influências nocivas"(g88 pg 7).Ficou claro? o escravo desestimula,a experiência mostra que há motivos para isso,mas não diz ser errado,pelo contrário,diz que alguém que decide cursar não deve ser criticado por isso.Por falta de bom estudo alguns irmãos mitificam o assunto,assim passa ser errado,para eles, é claro!

    ResponderExcluir
  11. Alguns críticos do povo de Jeová fizeram vários comentários na net criticando o corpo governante de ensinar sobre isso.Eles não querem entender apenas e sim inculcar o preconceito, para estes não adianta explicar porque querem passar a idéia de que os irmãos são idiotas manipuladores e maquiavélicos.Desde a década de 70 o corpo governante vem alertando sobre isso,hoje muitos estudiosos religiosos estão se dando conta a respeito,vejam na net "UNIVERSIDADE DESVIA JOVEM CRISTÃO? E AGORA,COMO VIVEREMOS?",sobre uma pesquisa feita no EUA e também no Brasil sobre esse perigo.Tenhamos orgulho de pertencer a um povo que não se apega a tradições e que está além de seu tempo.

    ResponderExcluir
  12. O certo é que o Escravo nunca disse que é errado fazer faculdade, porém muitos tem este ponto de vista e os expressam em seus comentários e até mesmo em seus discursos. Como dito, vão além das coisas escritas.
    É óbvio que ser pioneiro é a melhor carreira, porém, que dizer se um irmão deseja constituir família? Não está desejoso de algo excelente? Não é Jeová o originador da família?Logo este chefe de família deverá sustentá-la e alguns chegam a conclusão de que devem cursar uma faculdade para se preparar para o mercado de trabalho.

    Dois aspectos devem ser levados em conta. 1º. Será que cursar a faculdade permitirá seguir o conselho de Jesus em Mateus. 6:33? Ou seja, continuará assistindo a todas as reuniões, tendo uma participação significativa no ministério e tendo bons hábitos de estudo? Ou será que não terá tempo para as coisas espirituais?

    2º. É garantia de bom emprego uma faculdade?
    Conversei recentemente com um senhora que tem bacharelado e mestrado em ciências contábeis. Ela disse que incentivou o filho a fazer um curso técnico e disse que assim que terminou o curso conseguiu um bom emprego numa multinacional com salário superior a muitos que tem faculdade.

    A questão é essa, não é errado, mas vai afetar nossa relação com Jeová? Vale a pena o custo benefício? Quem decidirá? Cada um tomará sua decisão e os pais decidirão o que é melhor para seus filhos.

    Tenho uma filha de 9 anos e incentivamos ela a ter como alvo o serviço de pioneiro como a mãe é. Porém, já falei que ela deve escolher um curso que a possibilite manter-se no serviço. Não quero que minha filha dependa do marido se casar um dia. RSRSRSRS.

    ResponderExcluir
  13. Muito pertinentes e esclarecedoras Washington. Muito mesmo. Vou rever alguns conceitos sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  14. BIO - sou formado em biologia e nao fiz esse curso visando enriquecer, foi pra mi manter no territorio que ajudo, que tem muita dificuldade de emprego. oque vejo é qui muitos com dito acima vaoa alem das coisas escritas, ja cansei de ouvir oradores falarem de faculdade, mais nunca li nada proibido

    ResponderExcluir
  15. Os comentários do Washington são muito sensatos e equilibrados. Devemos nos lembrar que "todas as coisas são lícitas, mas nem todas as coisas são vantajosas". O fato é que Jeová é o único que conhece nossos corações. Ele sabe qual é a nossa motivação ao se fazer um curso superior, buscar um emprego público ou qualquer outra coisa. Eu decidi fazer um curso superior de tecnologia no ano passado, mas tomei a firme decisão de 1)Não perder nenhuma reunião por conta desse curso 2)Não me envolver extraclasse com colegas e 3)Limitar a 2 horas por semana os trabalhos relacionados ao curso. Escolhi esse curso por ser de curta duração e não exigir muito trabalho teórico. Meu foco é me profissionalizar para poder sustentar minha família com menos dificuldade e conseguir ter um emprego que me permita entrar no tempo integral. Que cada um de nós tenha discernimento e tome uma decisão correta, baseada em sua consciencia treinada pela Bíblia.

    ResponderExcluir
  16. andre mi esclareça uma coisa. sou de familia de tj e ja limuito sobre vcs. se o escrevo fala tanto de nao fazer faculdade,com sao feitas akelas maquinas que vcs tem que sei qui foram membros que criaram ou os computadores, meps etc. sao de autodidatas por um acaso?

    ResponderExcluir
  17. André. Sou um desassociado, mas o retorno ficou praticamente impossível, pois sou policial civil, e pelo que ouvi do SC, eu tenho que deixar minha profissão. Já li muito a bíblia, mas nunca vi, nenhum ensinamento no sentido de deixar um emprego, que não é ilícito, para adorar o nosso Deus Jeová. Fui desassociado ainda garoto, com o passar dos anos, entrei para a polícia, mas sempre tive vontade de voltar, voltei a assisti as reuniões por quase um ano, mas o meu retorno, não é aguardado. Falo isso com um coração triste e magoado, queria somente adorar a Jeová. Passei todo este tempo acessando seu blog, para me fortalecer, mas eles não deixam que eu retorne para a casa do Deus Verdadeiro. Quando eu me aposentar, talvez eles deixem eu voltar, espero que o armagedom não cheque antes que eu volte. Obrigado mano.

    ResponderExcluir
  18. Aqui em Portugal, um curso superior não serve para nada. São centenas de milhares de desempregados com cursos superiores ;)

    ResponderExcluir
  19. aqui também tem um monte de desempregados ou que trabalham numa área que nada tem a ver com o curso escolhido.
    Mas a questão é que não devemos criticar nem julgar e muito menos tratar de modo diferente aqueles que decidem cursar uma faculdade.

    ResponderExcluir
  20. A conclusão do assunto, tudo tendo sido ouvido, é:
    1 - Fazer faculdade não é proibido, apenas desaconselhado! Essa é a posição oficial do 'escravo'. Digo isso pq sou ancião e em uma reunião com o Sup. Circuito isso foi elucidado;
    2- Irmãos que comentam que é errado é pq não se preparam ou não entendem bem o que vão comentar;
    3- Conheço um irmão que fez um curso de 4 meses de cabeleireiro e ganha hoje aproximadamente R$ 2.000,00 e outro que fez 4 anos de letras e é faxineiro em um hospital, e ainda outro que fez 4 anos de administração + pós-graduação e ganha R$ 1.200,00 em um escritório de indústria. (Comparem os custos-benefícios e digam quem ganhou mais);
    4- Fazer faculdade só é benéfico se a área está em crescimento e, para quem é TJ, se não atrapalha em sua devoção piedosa.

    É isso...

    ResponderExcluir
  21. Comentário do Unknown perfeitamente legível. Qualquer curso que possamos fazer vai valer a pena se 1)Área em franco crescimento (prestação de serviços, por exemplo) e 2)Mão-de-obra especializada escassa (há uma falta enorme de engenheiros e profissionais na area de TI no Brasil por exemplo).

    Que cada um tome uma decisão bem pensada e discutida longamente em oração com Jeová.

    ResponderExcluir
  22. Bio - pois éUnknown, vc só reforçou o que sempre eu falo aqui com alguns irmão que fizeram faculdade assim como eu e ficam numa preocupaçao de serem taxados de rebeldes ou materialista.
    A unica coisa que determina o que é errado e não, é só a Bíblia.

    ResponderExcluir
  23. O grande problema reside no fato de que diferente da Classe-Escarvo que não é movida por um racionalismo cego e uma arrogância farisaica, alguns irmãos, alguns não todos o são, movidos sim por um dogmatismo cego advindo de uma visão estreita e deturpada que visa apenas discutir quem é mais teocrático ou não! Uma busca rápida nas publicações da Torre de Vigia e veremos que ela nunca pronunciou-se abertamente sobre o ensino superior, mesmo que em discursos recentes alguns membros proeminentes da organização mundial tenham falado de forma mais franca sobre os perigos advindos do ensino superior, baseados não apenas mas em casos de cristãos genuínos que esfriaram devido ao seu egresso na universidade, mas baseado no tempo, nos recursos e dedicação empregados por quem encontra-se nas fileiras universitárias. Lembro-me porém, que recentemente em uma Assembléia no Circuíto que após falar sobre os riscos do ensino superior, o razoável Superintendente do Distrito Benjamim Silva (Homem sábio e experiente com mais de 40 anos no tempo integral) lembrou: "Muitos em nossas fileiras cursam a faculdade e já cursaram e tornaram-se bons publicadores e servem em muitas modalidades de serviço, portanto, esse é um assunto pessoal e familiar". Isso está em harmonia com a citação espirituosa feita na Despertai de 8/3/1998 que diz que "de qualquer forma, essas são decisões de natureza pessoal. Os cristãos não devem julgar nem condenar outros nesse assunto. Tiago escreveu: “Quem és tu para julgares o teu próximo?” (Tiago 4:12) Se um cristão pensa em estudar mais, deve examinar sua própria motivação para ter certeza de não estar sendo levado por interesses egoístas e materialistas."

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.