segunda-feira, 18 de julho de 2011

MUSICA

Acabei de ler a Despertai! de agosto que fala sobre música. Admito que todas as vezes que se fala de música eu sempre leio de forma parcial, afinal, que tem Iron Maiden e Metallica como bandas admiradas, com certeza achará os artigos bastante radicais e duros. Acho que o Escravo acaba entrando um pouco na linha do clichê, quando se refere a musicas.

Por exemplo, observem as figuras da página 08 e 09.  Os "CD" que a irmã joga no lixo são de artistas supostamente pop & rock, como se todos fossem ruins. Mais acima, nas figuras que aparecem,  a irmã está ouvindo músicas que não são objetáveis do grupo que eu chamo de artista para agradar pseudo intelectuais, que inclui, MPB, música clássica, instrumental e afins. 

Pra começar existem bons rock que cristãos podem ouvir sem ferir sua espiritualidade. Bandas como Radiohead, Coldplay, Pink Floyd, The Elvyn, The Magic Numbers,... enfim, muitas bandas que o cristão mais sensível, mesmo passando um pente fino sob as mais rígidas exigências, pode ouvir sem problemas.

Por outro lado a falsa impressão de que cancões do chamado "World Music" são inofensivas pode levar a algumas armadilhas. Muitas canções de Caetano Veloso, Chico Buarque, Gilberto Gil, Maria Rita e outros artistas do chamado grupo intelectual possuem letras muito mais insurgentes que muitas canções de rock.

Mas enfim, acho que esta é uma discussão que não vale à pena entrar. Acredito que no fim, cada pessoa é responsável por aquilo que ouve e deve saber o que a música causa em seu coração. Na verdade, não que seja errado ouvir determinados tipos de música, mas deve se analisar o que ela causa em seu coração, e principalmente, na sua espiritualidade.

Por exemplo, quando estou com raiva, gosto de ouvir rock. É uma forma de extravasar, de soltar o "grito" preso dentro da garganta. Ao contrário do que disse a revista, eu não fico com mais raiva, irritado ou agressivo.  Não incomodo ninguém. Faço isso no recôndito do meu quarto ou no fone do meu MP3 Player. Quando estou feliz gosto de ouvir reggae. É estimulante e me deixa com uma sensação boa de bem estar e tranquilidade (por favor, nenhuma piadinha infame, tá?). Quando quero zoar com os amigos ou curtir uma fossa, nada melhor do que música brega ou sertaneja. Enfim, não são nenhuma das escolhas padrões que um cristão deveria ter, mas são canções que gosto. Quando quero dormir, nada melhor do que os cânticos orquestrados do Reino.

A música tem um poder sensacional. Entretanto, embora concorde que "alguns estilos musicais são conhecidos por sua depravação", não posso dizer que todo funk é imoral (o funk melody, por exemplo, tem letras românticas lindas) e que todo pagode é depravado, só porque as pessoas sambam.

Enfim, acho que o conselho final é tenham bom senso. E viva a música, porque eu não vivo sem ela. E ainda vou ficar surdo disso.


2 comentários:

  1. André,parabens por seus excelentes post,espero que Jeová continue abençoando seus esforços,e que você possa voltar quando estiver pronto,quanto a música,acho que somos suficientemente instruídos,para sabermos,qual estilo músical queremos seguir,lembrando que o Rock and Roll,continua sendo umas das melhores alternativas.Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  2. realmente , caetano e da mpb e ja fez coisas como batiamcumba xaimum e outras coisas bizarras

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.