sábado, 18 de setembro de 2010

CARRO VELHO

"Quer andar de carro velho amor,
que venha, pois eu sei que andar a pé,
amor, é lenha"

- Ivete Sangalo







Certa vez, tinha conhecido uma irmã num congresso, e conversa vai, conversa vem, parecia que finalmente iria arrumar uma namorada. Na semana seguinte convidei-a para passear no shopping, tomar um sorvete, tale e coisa, coisa e tale, e como ela era de família de classe média, imaginei, tenho que pegar ela de carro. Mas como, se o máximo que eu tinha era uma bicicleta?! A única solução era pedir emprestado um carro de alguns amigos. Entre "não" e "não posso porque vou sair agora", sobrou apenas o Fiat 147 de um irmão muito chegado. O FIAT 147 era lindo, bem cuidado, com umas rodas "filé", coisa de quem cuida com carinho. Mas como esse irmão acabou se atrasando em um estudo bíblico que ele foi, acabei indo para o encontro de ônibus. Conversa vai, conversa vem, comentei com ela do tal "147" e para a minha surpresa, ou não, ela falou: "ainda bem, porque eu iria morrer de vergonha em sair num carro velho desses!".


Depois dessa experiência nunca mais acreditei em "irmãs" que ligam apenas para o lado espiritual e não se importa com o lado material. Algumas mulheres dizem que a mania dos homens de dar tanto valor aos carros é ridícula, porém, como dizer que uma atitude dessas é machista quando encontramos peças como estas? Ta bom, sei que generalizar é errado, mas acabamos sendo manipulados pela generalização. (compare com 2 Timóteo 2:20,21)

Pena que muitas vezes o que chamamos de carro, parece ter o poder de espantar todas as mulheres em um raio de centenas de quilômetros... Seja pela cor horrível (laranja ou amarelo-ovo, por exemplo) ou pelo estado deplorável da lataria, aprendemos desde o berço que não basta apenas ter um carro: É preciso que ele seja capaz de nos ajudar a conseguir conquistar alguém!

E muitas vezes o momento decisivo do pobre irmão ficar ou não com aquela garota que ele conseguiu depois de algumas horas de chaveco no congresso, é exatamente na hora de apresentá-la ao seu carro. Aí ele vai ter que se superar para convencê-la de que não corre nenhum risco de contrair tétano se esbarrar na ferrugem. Sem contar que carro velho é o inimigo numero um das meias-calças, já percebeu? Nunca conheci uma mulher que não tenha saído de um cacareco sem deixar metade de suas meias grudadas nas ferragens.

Aqui no DF, aonde as pessoas possui um bom nível de vida financeira, e por isso mesmo, costumam andar de carro "zero kilômetro", mesmo que seja em 72x a preço mórdicos, andar num carro velho pode ser complicado.

Mas tem homem que parece se divertir com os defeitos que o carro vive acumulando. Sei lá, parece que carro velho desperta o "McGiver" que existe dentro de nós. Já reparou como todo dono de velharia adora resolver os problemas com grampos de cabelos, carvão de pilha, arame, palito de fósforo, e até coisas mais bisonhas, como usar esmaltes de unhas para retocar a pintura? (No meu caso, amo os sprays).

Pior que ter carro velho é não ter dinheiro para colocar gasolina. E o engraçado é que o bendito carro sempre resolve parar bem longe de um posto de gasolina, já reparou? Então, para acabar de vez com sua noite, ele procura umas moedas dentro do cinzeiro, sai caçando mais alguns trocados nos bolsos, e termina fazendo um pedido: "Você não teria uns cinco 'paus' para eu comprar gasolina?" Nossa, mais romântico que isso, não existe!!!

E depois de tentar fazer de tudo, cansar de girar a chave na ignição, ele vai perguntar se você sabe como fazer um carro pegar no "tranco". Bem, como é mais que natural, mesmo que você saiba como fazê-lo, carro velho sempre tem alguns segredinhos, que somente o dono conhece: "Você tem que "bombar com força" o pedal do acelerador, pisar na embreagem até o fim, e engatar a segunda, senão ele engasga e morre de novo!" Ou seja: depois de várias tentativas, quem vai ter que empurrar o carro será você! É minha filha, quem disse que baba de jegue é rapadura? Rapadura é doce mas é dura. É minha cara irmã, a situação é complicada. Ainda bem que só passei situações assim com minha esposa. Só assim para testar o amor.

O fato é que amo o meu Fiesta 96 motor endura. Ele me acompanhou em muitas aventuras e se pudesse falar, nossa, contaria muitas coisas. Talvez seja por isso que ainda insisto em gastar rios de dinheiro para mantê-lo sempre em forma, do que passar mais 60 meses pagando uma prestação de carro novo. Meu "neguinho", você é meu companheiro fiel, meu carro, e se alguém tiver de gostar de mim, vai ter que gostar de você também.

7 comentários:

  1. A verdade é que a gente se apega com esses carros mais antigos, que parecem que eles já são da família!

    ResponderExcluir
  2. Seu "Neguinho" é igualzinho, ou quase, ao Fiesta do meu sogro. Só que o do meu sogro eu chamo de "Dálmata", porque ele é azul assim como o seu mas está cheio de círculos de massa lixada que "um dia" (Jeová é pai) deixarão de ser vistos quando ele finalmente terminar a pintura doméstica para a qual ele nunca arranja tempo. kkkk...

    ResponderExcluir
  3. huahuahuahuah... o meu está quase passando por essa lixada.

    ResponderExcluir
  4. bio- INACREDITAVEL QUE NENHUMA IRMA REVOLTADA ENTROU AQUI ORA LHE MASSACRAR . NAO SERÁ QUE ELAS SE DOERAM?

    ResponderExcluir
  5. É bom não generalizar as irmãs pq. ja impurrei carros de irmãos de salto e tudo rsrsrs
    Infelizmente acontece, agora namoro um que nem carro tem, mas estou super feliz.

    Cleo-SP

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.