segunda-feira, 15 de março de 2010

AVIÃO. QUEM FEZ PRIMEIRO?


O avião Flyer dos Wright. Ao contrário do 14 Bis de Santos Dumont, ele foi catapultado e jogado de uma colina para voar



Todo brasileiro aprende desde pequeno que o inventor do avião foi Alberto Santos Dumont. Correto? Mas a Despertai! de março nos trouxe uma pequena confusão de informações ao apontar os irmãos Wright como os reais pais da aviação. Um quiprocó que cria uma verdadeira saia justa para um morador atento e observador. Na série de matérias de capa "Já existia na Natureza", a revista decorre sobre várias invenções que foram "copiadas" pelos homens, inventos que foram criados das criaturas já existentes em nosso planeta. Tudo bem, tudo normal, mas ao falar sobre o avião a revista aponta apenas feitos dos Irmãos Wright e sequer menciona o nome do nosso conterrâneo Santos Dumont.

Em quase todo o mundo, com excessão do Brasil e da França , todos creditam aos irmãos Wright a invenção do avião. Na Alemanha nem Dumont, nem Wright, mas atribuem a Otto Lilienthal o título de pai da aviação. Mas tudo isso é obra da imposição cultural americana que além de empurrar essa informação goela abaixo das pessoas, se recusa a no mínimo, reconhecer o papel de Dumont. Oficialmente no Brasil, Santos Dumont foi o inventor do avião. Os franceses, por ter sido o país aonde a experiência foi realizada, também credita ao brasileiro a criação do avião. Em alguns outros países, a "invenção"do avião não é atribuída especificamente a alguem, mas apenas informam as pessoas que tentaram fazer com que objetos voassem citando todos na época. Mas os Estados Unidos, impõe que os Wright e evita comentar sobre Dumont.

Mas porque existe tanta confusão assim?

No inicio do século passado o sonho do homem era voar e havia uma corrida na Europa para quem conseguiria primeiro. Várias pessoas tentavam, inclusive os próprios irmãos Wright, mas ninguém havia conseguido fazer um objeto voar com um homem dentro dele. Até que o Aeroclube da França instituiu promoveu um concurso para pagar um prêmio ao homem que conseguisse voar por mais de 25 metros. Foi então que em 23 de outubro de 1906, Alberto Santos Dumont conseguiu colocar o seu "mais pesado que o ar", uma geringonça de 290 kilos, apelidado de 14 Bis, por meio de propulsão própria num motor de 50 cavalos, que voou por 50 metros de distância, 2 metros de altura durante 7 segundos. O feito teve a análise de uma comissão especializada julgadora, testemunhas técnicas e fotos. Foi o primeiro voo feio em público, que saiu do chão com "sua próprias pernas" e rendeu a Dumont o prêmio.

Já os irmãos Wright, alegam que haviam conseguido isso 03 anos antes, porém, além de ter sido feito sem uma comissão científica ou testemunhas, o aparelho dos Wright, diferente do 14-bis, (e diferente do que foi publicado na Despertai!) não usou propulsão própria. Ele foi catapultado contra o vento e somente depois de se estabilizar no ar, o motor conseguiu sustentar o avião deles. Na verdade os Wright tinham medo de que sua invenção fosse copiada e patenteada por outros e por isso começaram a fazer experimentos isolados da comunidade. Quando conseguiram voar, enviaram apenas um telegrama.

Vale frizar que os Wright viriam a voar novamente somente em 1908, na mesma Paris de Santos Dumont. Isso ocorre porque de 1905 a 1908 eles pararam de voar com a criação da Federação Aeronautica Internacional. Foi nessa época que todos puderam conhecer o Flyer que vooU espantosos 124 kilometros na França, ainda sem decolar por meios próprios, vale frizar. A partir daí criou-se uma pequena confusão sobre quem seria o inventor do avião. Os franceses com seus documentos, provas, testemunhas diziam que era Santos Dumont, enquanto os americanos com apenas um telegrama e uma noticia no jornal de Ohio, que curiosamente apontava o feito deles com a criação do primeiro balão dirigível, o Nº 6, criado por Santos Dumont.

Enfim, segundo alguns especialistas mais sensatos, não existe um "inventor do avião", mas pioneiros da aviação aonde se incluem neste grupo não só Santos Dumont, os irmãos Wright, como também o alemão Otto Lilienthal, morto em 1896 num vôo de planador. O fato é que os americanos, de uma forma bem típica estabeleceu que apenas os Wright foram os verdadeiros pais da aviação, e simplesmente ignoraram completamente os feitos de Santos Dumont, que não aparece nos livros de história americana, sequer como um dos que tentaram tal feito. Alguns admiradores de Dumont, dizem que isso serviu para que não houvessem comparações com o feitos dos americanos e por isso, que a legitimidade da criação do Flyer fosse feita.

Desta forma, ao editar uma matéria aonde aponta o Flyer como o primeiro avião a sair do ar, e até não informar que os americanos só conseguiram isso por catapultar ou empurrar o mesmo de uma colina, a Despertai! acabou caindo na armadilha e fazendo um desserviço. Algo, que não passará despercebido por um morador inteligente.

8 comentários:

  1. Esse assunto já gerou polemica no passado. Ver g99 08/03 p. 6 e g99 08/11 p. 19.

    ResponderExcluir
  2. Bem lembrado, Fernando. Curioso é que o irmão que fez o questionamento era dos Estados Unidos. Será que ele era brasileiro?

    ResponderExcluir
  3. Olá André

    Tenho acompanhado seu blog por RSS, acho ele muito interessante e você escreve muito bem. Parabéns!

    Sobre o post: Talvez por isso o título do artigo seja "Voo motorizado" (na versão em inglês, "Powered flight"), já que pelo que sei, o avião de Santos Dumont não tinha nem mesmo alguma espécie de mecanismo de controle de direção. Já o dos irmãos Wright parece ter tido.

    De qualquer forma, posso estar enganado, mas não lembro de ter lido no artigo da Despertai algo afirmando "os irmãos Wright como os reais pais da aviação". O artigo não disse quem fez o avião primeiro, apenas falou do invento dos Wright como algo parecido aos pássaros, já que podemos até notar no scan acima que o artigo diz que o avião tinha "asas torcíveis", e acho que o de Santos Dumont não tinha isso.

    E, sinceramente, será que não seria algo um tanto 'patriota' defender com unhas e dentes Santos Dumont?

    Muito obrigado.

    ResponderExcluir
  4. Jonatã, agradeço os comentários e de fato, percebi que em nenhum a revista diz que ele inventou o primeiro avião, mas ao relacioná-los aos outros inventores, subliminarmente estabelece que o avião surgiu graças ao "Flyer".

    Na verdade, eu acho a comparação inapropriada, porque o "14 Bis" além de ter um motor de 50cv, voou por méritos próprios, portanto, seria muito mais adequado aplicar o avião "motorizado" de Santos Dumont, do que o "catapultado" Flyer.

    Eu sou da opinião de alguns especialistas de que não houve "inventor do avião", mas "pioneiros da aviação", e que estes devem ser reconhecidos. Como a Despertai! é editada nos Estados Unidos, ficou a impressão de que os irmãos acabaram entrando na armadilha dos historiadores americanos de dar crédito apenas aos irmãos Wright, vide polêmica já criada anteriormente, conforme postado acima por Fernando.

    Não me entendam mal, a Despertai! é feita na maioria das vezes por colaboração dos irmãos comuns, como eu e você, e se não houver uma explicação definida, a o risco de Betel toda vez ter que justificar matérias na seção "Dos nossos leitores".

    ResponderExcluir
  5. Olha só meu irmão, você escreve de fato muito bem. Mas não gostei nem um pouco de falar que a Despertai! prestou um "deserviço". Pode passar a impressão para quem entrar no blog e não for TJ que as nossas revistas são feitas sem um mínimo de pesquisa prévia. E sabemos que não é assim.

    ResponderExcluir
  6. É o que ficou parecendo Almeida. Mas não fique assim tão ofendido. Se houver alguma coisa, os irmãos se retratarão em "Dos nossos leitores" nas revistas à frente.

    ResponderExcluir
  7. O fato de ser catapultado,ou jogado penhasco abaixo, não é demérito nenhum. Se formos comparar às aves, algumas moram em penhascos e literalmente se jogam ao ar para voar, sem contar que outras, quando dos primeiros vôos, jogam seus filhotes para eles aprenderem a voar.

    ResponderExcluir
  8. pouco importa quem inventou ou deixou de inventar o avião. o morador não se atenta para este detalhes e se por acaso ele questionar, aí sim é um motivo para se dirigir um estudo bíblico ou esclarecer o assunto,porém isso é raro no brasil, pode observar na sua congregação se o assunto não passou despercebido.

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.