sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

MANUAL DE SOBREVIVÊNCIA


“Outrossim, se o teu irmão cometer um pecado, vai expor a falta dele entre ti e ele só. Se te escutar, ganhaste o teu irmão. Mas, se não te escutar, toma contigo mais um ou dois, para que, pela boca de duas ou três testemunhas, todo assunto seja estabelecido. Se não os escutar, fala à congregação. Se não escutar nem mesmo a congregação, seja ele para ti apenas como homem das nações e como cobrador de impostos." - Mateus 18:15-17




:: Sobrevivendo ao Arrogante

Bem, as pessoas arrogantes de um modo geral, segundo alguns especialistas (leia-se pesquisa no Google), no fundo, são inseguras e tem auto-estima baixa. Por isso o melhor mesmo é evitar confronto com a pessoa arrogante, porque isso vai aumentar esses sentimentos e vai torná-lo ainda mais assim, deixando a relação mais dífícil. Lembre-se que o arrogante geralmente tem influência junto aos anciãos e aos irmãos em geral, graças a sua pose de certinho, e as vezes entrar em conflito pode lhe custas alguns doses de estresse.

Trate-o com respeito, pois o prazer do arrogante é destratar principalmente aqueles que entram em conflito com ele, mas deixe claro que respeito não é subordinação. Quando ele passar dos limites como, por exemplo, criticar alguém ou algum arranjo da congregação, diga-lhe com carinho, mas firmeza, que não concorda com ele e utilize o princípio bíblico destacando as qualidades da pessoa criticada. Peça para reconsiderar a atitude ou rever os conceitos dele sobre aquela pessoa. Lembre-se que isso tem que ser feito de uma forma carinhosa, não com arrogancia, se não o tiro sai pela culatra. Isso não vai fazê-lo deixar de ser arrogante, mas ele saberá que a atitude dele não minimiza a você.

Se apesar de tudo isso, o arrogante continuar assim em grau máximo, o melhor a fazer é se afastar dele. Se não puder, lembre-se que no fundo ele é inseguro e usa isso como uma defesa que ele pensa que tem. Portanto o melhor a fazer é usar o princípio bíblico do perdão e não se deixar abater por ele.

:: Sobrevivendo ao Autoritário

A situação do autoritário é parecida com a do arrogante. Como ele padece de auto-confiança, confere a si uma falsa "autoridade" - julgar-se acima dos demais lhe dá ilusão de autoconfiança. Por isso também evite confrontos diretos com o autoritário. Quando se julgar magoado, humilhado, lembre-se dos princípios bíblicos sobre o amor, alegria, benignidade e da paciência e se fortaleça.

Uma das coisas que eu faço nestes casos é olhar nos olhos da pessoa ( desviar o olhar geralmente denota fraqueza ou insegurança), procurando transmitir carinho, simpatia e... confiança. Eu tinha um problema sério com um superintendente de serviço de minha congregação em Salvador que gostava de me pegar pra Cristo e enquanto ele esbravejava, eu apenas olhava de forma alegre e carinhosa e dizia "eu acho que você tem razão, porém não seria interessante também avaliar desse ponto de vista?". O superintendente presidente ria com a situação e costumava me chamar de diplomático.

Lidar com pessoas autoritárias é difícil, pois ele não é do tipo de sentir pena ou acolher alguém. Na maioria das vezes, eles se sentem solitários, por isso tente acolhê-lo demonstrando empatia e compreensão. Mas se a situação for impossivel, o melhor a fazer é conversar sinceramente com a pessoa, demonstrar como você se sente e que seria bem melhor se ele o respeitasse, da mesma forma como você o respeita. Se a situação estiver lhe atingindo ao ponto de influenciar na sua espiritualidade, seria melhor conversar com um ancião de confiança sobre o assunto.

:: Sobrevivendo ao Ingênuo

Parece irônico, mas também existe a necessidade de se proteger do ingênuo. O grande problema dos irmãos assim é que a linha entre a ingenuidade e o choque de valores é tênue. Assim, como não somos perfeitos e estamos sujeitos a erros, o grande problema de se conviver com o ingênuo é que ele sempre vai se horrorizar com o que você fizer de errado, por assim dizer, mesmo que não seja tão errado assim.

Lembre-se que o ingênuo, necessariamente não é aquele irmão que quer se fazer de certinho, ele realmente é certinho, mas pior, na sua ingenuidade acha que tudo ocorre exatamente como num conto de fadas cristão. Quando algo sai errado, na visão dele, a reação é tão instantanea que você acaba se achando o cristão mais pecador de todos.

Em Salvador, no período de carnaval, os irmãos costumam "fugir" da folia acampanhando no interior do Estado ou indo para praias longínquas. Me lembro que uma certa vez os jovens começaram com uma horrível "brincadeira" de soltar peidos dentro do quarto, e um dos irmãos, irritado, começou a apelar e a esbravejar com todo mundo. O que foi para muitos uma história engraçada para se relembrar depois, para um determinado irmão foi "uma coisa absurda, indigna de alguém que se chame irmão". Como o ingênuo conseguiu os ouvidos de um ancião, não deu outra, na primeira oportunidade num discurso público, ouvimos conselhos de como se comportar dignamente como Testemunhas de Jeová e um saldo negativo de mancha na respeitabilidade.

O melhor nestes casos é evitar o ingênuo, seja por evitar fazer comentários que aparentemente sejam polêmicos ou até levá-los como companhia a locais aonde você e seus amigos precisam ficar, digamos, um pouco mais espontâneos. Por outro lado se estiver faltando companhia, iniciar conversas utilizando o clichê "Nossa, mas o estudo da revista estava maravilhoso, não é?", você terá a admiração e o respeito dele por anos à fio.


:: Sobrevivendo ao Impulsivo

É muito difícil você lidar com uma pessoa impulsiva, principalmente se você costuma ser discreto. Certa vez numa grupo de discussão na internet, uma certa irmã da Nova Zelândia, me encheu de impropérios só porque comentei de forma bem humorada que uma pessoa não pode ser considerada culta só porque passa o dia assistindo a TV Cultura ou os documentários do Nat Geo. Fiquei realmente sem ação, porque o impulsivo - o popular barraqueiro - não age com razão, mas com a emoção, por isso nunca pensa nas consequencias, mas naquilo que ele pode te proporcionar naquele momento.

Infelizmente não existem segredos para lidar com eles. Utilize o principio da benignidade e da longanimidade e não reaja; simplesmente afaste-se e espere que ele se acalme e depois o procure para conversar. Lembre-se que no caso do impulsivo, isso pode levar dias, mas lembre-se do princípio de perdoar até setenta e sete vezes, se for possivel. Como ele também está debaixo de princípios bíblicos, com o tempo, mesmo contra a vontade, ele será obrigado a te ouvir, se você insistir, aonde poderá conversar com ele com muita calma.

Caso seja impossível sair de perto ou lidar com a situação, mantenha-se calmo, aconteça o que acontecer. Procure um irmão de confiança e comente o assunto com ele. Se for o caso, faça como Jesus aconselhou e chame duas testemunhas ao conversar com o irmão. Mostre-lhe que você se sentiu bastante magoado e surpreso pela atitude dele, principalmente por causa do respeito que você tem pela pessoa, e que não gostaria que se repetisse; deixe claro que você esta aberto a qualquer critica ou sugestão que ele esteja disposto a fazer, mas que seja numa conversa apenas entre vocês, e não num escandalo envolvendo outros irmãos. Mostre-se sereno, simpático e sorria! Aos poucos ele irá de desarmar e você nem precisará envolver os anciãos nesse quiprocó!


:: Sobrevivendo ao Inseguro

O inseguro tem uma necessidade grande de contar o tempo todo com pessoas que possam protegê-los, guiá-los em meio aos "perigos" e às indecisões da vida. O problema é que isso cansa; e muito! Como comentei antes, isso pode desencadear um outro problema: quando conseguimos convencê-lo de que não somos guias e nem protetores, eles se afastam, porém levam para o próximo "eleito" tudo que observaram e escutaram ao conviver com você. Por isso é necessário tratá-lo com reservas, por mais cruel que isso possa parecer.

Não conte-lhe segredos íntimos, nem o receba no seu trabalho ou na escola, mesmo que ele insista. Quando o mesmo for em sua casa, evite que ele entre no seu quarto ou vasculhe suas coisas pessoais. Nada de abrir o coração com ele ou de comentar fatos pessoais, ou de outras pessoas. Lembre-se que qualquer informação distorcida pode ser usada por pessoas sem escrúpulos.

Quando adolescente havia uma irmãzinha danada para fazer e desfazer "amizades íntimas" que ninguém entendia o porque. Na maioria das vezes os irmãos acabavam se afastando dela por "cansaço". Então ela acabou fazendo amizade com minha irmã caçula. Era um negócio de entra e sai, liga e desliga que já estava me incomodando. Falei para minha irmã: cuidado, pois da mesma forma como ela critica e cita peculiaridades das irmãs que um dia foram as melhores amigas dela, com certeza ela fará o mesmo com você, quando achar uma nova melhor amiga. Minha irmã não me ouviu. Resultado: alguns meses depois, quando minha irmã cansou da insegurança dela e se afastou, logo depois foi envolvida num caso de fofoca na congregação, tudo porque um comentário inocente que ela fez foi usado pela irmã insegura a sua "nova amiga".

Assim, o melhor a fazer é sempre andar com reservas com pessoas inseguras.

4 comentários:

  1. Cara, muito lindo o novo template do blog. Muito legal mesmo, parabéns!

    ResponderExcluir
  2. O negro dava uma sensação de muita tensão. Acho que agora ficou mais light.

    ResponderExcluir
  3. BIO- o cometario sobre os ingenuos foi hilario

    ResponderExcluir
  4. é cara esse negócio de amizade pessoal é um lançe complicado e temos que ser vigilantes sobre o que vamos converçar com nossos amigos próximos pois tem muita coisa que é inteiramente pessoal ao qual devemos analisar bém antes de falar pois existem pessoas maldosas em qualquer lugar! só esperando o momento para dar o bote.

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.