terça-feira, 3 de novembro de 2009

Apóstatas, Opositores e Questionadores

"...pois recebiam a palavra
com o maior anelo mental,
examinando cuidadosamente as Escrituras,
cada dia, quanto a se estas coisas eram assim"
- Atos 17:11



Aquilo que Raul Seixas chamava de "metamorfose ambulante", eu chamo de “ser volúvel”. Eu sou um cabeça dura, e para mudar minha opinião sobre alguma coisa o argumento precisa ser bastante convincente. Agradeço a Jeová por ser assim, pois a apostasia está em todo lugar, mas na internet ganhou um espaço antes nunca dado a eles.

No entanto é preciso diferenciar "apóstatas", "opositores" de "questionadores". Há diferença? Sim, claro que há. Quando alguém é contra as Testemunhas de Jeová seja por qual motivo for, isso é fazer oposição. A oposição pode vir de inimigos, membros de outras religiões, amigos e, inclusive, de membros de sua própria família (compare com Mateus 10:21, 35, 36.)

Já a apostasia é a definição de abandono, alguém que antes fazia parte do povo de Deus e depois decidiu deliberadamente ser contra tudo aquilo que aprendeu. 1 Timóteo 4:1 diz sobre isso: "A pronunciação inspirada diz definitivamente que nos períodos posteriores de tempo alguns se desviarão da fé, prestando atenção a desencaminhantes pronunciações inspiradas e a ensinos de demônios."

Estes são mais perigosos porque como conheciam a Organização, utiliza das informações privilegiadas para falar mal contra ela e impedir que outros entrem. A arte de enganar destes apóstatas inclui se fazer se anjos de luz (2 Cor. 11:14). Eles não estão interessados, inicialmente, em questionar nossas crenças, eles deixam isso para os evangélicos; seu interesse principal é minar nossa confiança no "escravo fiel e discreto", e nos membros da congregação.

Muitos apóstatas foram anciãos ou servos ministeriais, então, possuem conhecimento razoável sobre a rotina administrativa da organização e usam isso como falácia, tentando nos enganar com bravatas. Em vez de "perder tempo" dizendo que o inferno existe, que Jesus é Deus ou coisa parecida, não, eles vão tentar te convencer que a organização é má administrada, que os anciãos são hipócritas, que Betel costuma fazer transações comerciais ilícitas e assim por diante. Se não houver um mínimo de conhecimento básico do assunto e fé no caminho a ser seguido, a pessoa é no mínimo deixada confusa com o que se é dito.

Charles Taze Russel, coitado, foi um dos mais criticados. Como já vimos, ele já foi acusado de poligamo, adúltero, membro da KGB, maçon, entre outras coisas. Segundo outros, as ilustrações de nossas revistas estão cheias de desenhos com mensagens subliminares. Na França fomos acusados de sonegadores de impostos e em São Paulo, Betel recebe visitas costumeiras de oficiais da Receita Federal tentando achar uma brecha em nossas contas.

Mas há também os "questionadores". Estes sempre são mal vistos, principalmente por aqueles que são questionados. No inicio, um instutor talvez ache interessante um estudante que pergunta muito, mas com o tempo, ele começa a se irritar se são questionados em demasia, especialmente se as respostas não são convincentes.

Ser questionador, não significa que você deva seguir cegamento tudo que lhe é dito por algum irmão só porque ele possui um privilégio de ancião, servo ministerial ou pioneiro de tempo integral. Infelizmente os irmãos são imperfeitos e alguns são tentados a impor sua opinião pessoal maquiada como se fossem conselhos bíblicos. A melhor maneira de servir lealmente a Jeová é estudando as Escrituras, fazendo pesquisas biblicas, e ás vezes até mesmo questionando respeitosamente a Organização, assim como Abraão pode questionar respeitosamente a Jeová. Frequentemente envio cartas à Betel questionando alguns pontos bíblicos e sempre sou repostado de maneira sucinta e tempestiva de modo que minha fé é fortalecida. (compare com Gênesis 18:23-33).

Tudo isso é para explicar que fiquei extremamente triste que alguns de meus artigos sobre Charles Taze Russell tivesse sido mal interpretado por alguns irmãos e que até de "artigos apóstatas" tenham sido nominados. Fico triste que minha vontade de defender aquele a quem Jeová usou para restabelecer sua adoração na terra, tenha sido mal observada. Mas isso não me esmorece, pois sei que assim como os antigos bereanos, sei que outros não esperam que tenham fé e busquem o conhecimento para eles, mas estão dispostos a examinar sua fé dia e noite para que não sejam pegos de surpresa.

Sobre a atitude dos bereanos, a Despertai! de 08/10/91 escreveu:"O Professor Archibald Thomas Robertson, ao comentar essas palavras, no livro Word Pictures in the New Testament (Quadros Verbais do Novo Testamento), escreveu: “Paulo expunha diariamente as Escrituras, como fizera em Tessalônica, mas os bereanos, em vez de se ressentirem de sua nova interpretação, examinavam (anakrinō significa esquadrinhar, fazer uma pesquisa cuidadosa e exata, como nos processos legais . . .) as Escrituras por si mesmos.” O exame feito por eles não era superficial. Aqueles judeus bereanos faziam sondagens cuidadosas para confirmar se era verdade aquilo que Paulo e Silas estavam ensinando, à base das Escrituras, sobre Jesus como o Messias há muito prometido."

"Por conseguinte, seguindo o exemplo dos antigos bereanos, é importante que nós não somente leiamos a Palavra de Deus, mas também a estudemos — “examinando cuidadosamente as Escrituras” — de modo a entender o significado do que é dito."

Estás fazendo isso ou apenas balançando a cabeça para tudo que lhe dizem?

6 comentários:

  1. Li todos seus post sobre Russel e não achei nada de mal, só pesquisei sobre as piramides, e vi que no livro Proclamadores faz menção sobre o assunto. O problema André é que alguns hoje na congregação querem parecer ser perfeitos, justos demais, são iguais aqueles superfinos apóstolos do primeiro século que não se agradavam da presença de Paulo na congregação, falavam mal dele pelas costa, por que eram hipocritas e não amavam a Jeová. Continue assim André escrevendo o que voce pensa e sempre glorificando nosso Criador Jeová e e honrando seu filho amado Jesus Cristo. Abraços

    ResponderExcluir
  2. Rapaz, tem que ser muito ignorante no sentido de não conseguir discernir as coisas) para chamar de apostasia aqueles seus posts. Porém, não devemos nos esquecer que há pessoas de consciencia mais sensivel que acabam se ofendendo com coisas simples. Mas, acho que esse tipo de pessoa não é o público que seu blog tem. Eu aprecio muito o seu blog e entro aqui diariamente. Espero que você continue escrevendo esses tipos de textos.

    ResponderExcluir
  3. BIO - EXCELENTE POST. COMO DIZ AQUI NO NORDESTE, NEGOCIO DANADO DE BOM. TENHO APRECIADO SEUS POSTS, E REPITO O QUE JA DISSE EM OUTRAS OCASIOES, QUEM NAO AGUENTA A PRESSAO DO QUE VC ESCREVE, E MELHOR NEM LER. PORQUE NÃO HA NADA DE APOSTATA NOS SEUS POSTS, Ó O FATO DE SER PALAVRA FORTES DE UM PESQUISADOR HÁBIL E CONSTANTE. PARABENS

    ResponderExcluir
  4. ótimo post. Concordo plenamente.
    Tem algumas congs. aqui em Fortaleza que está ocorrendo exatamente o que vc escreveu... pessoas que querem ser justas demais fazendo calúnias de outras. Por isso tão apropriado o estudo de livro dessa semana sobre as palavras.

    ResponderExcluir
  5. Continue fazendo o bom trabalho.
    Lembre-se do nome que levamos
    Testemunhas de quem????/
    Exatamente..JEOVÁ.
    Portanto é ELE que é nosso foco
    e ele ve tudo, e sabe de todas as
    coisas.
    A verdade é magnética, e inevitavelmente
    atrairá os sinceros.
    Quanto aos instáveis e indecisos
    estes não prosseguirão. (que bom)
    É necessário uma seleção, pois ate
    Jesus vendo uma multidão materialista
    soltou o verbo e derrubou muitos com
    suas palavras, e não tentou dar o sentido
    de suas palavras aquele pessoal, eles não
    mereciam ser esclarecidos.-João6:53-69
    Jeová quer o melhor e não
    apenas qualquer coisa.

    ResponderExcluir
  6. acho que o maior perigo hoje seja o apóstata, e falo isso por um motivo óbvio, o cara sabe de tudo que está acontecendo dentro da organização é só ver o caso do raymond franz, saiu de lá, escreveu um livro e ficou milionário denegrindo a imagem da organização para delírios dos apóstatas de plantão que não entra e nem deixa quem está fora entrar.

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.