quarta-feira, 1 de abril de 2009

O arcebispo, o estuprador e a mãe

Estupro é um crime abominável na Lei de Deus e dos Homens. Assassinato também tem o mesmo peso. O aborto é considerado um crime abominável contra uma vida inocente. Está claro isso para você? Se a resposta for sim, passe adiante.

Muito se falou na polêmica excomunhão (o equivalente genérico da nossa desassociação) da mãe e dos médicos que praticaram o aborto na menina de 9 anos estuprada por um maníaco. Depois que o arcebispo informou que o mesmo não poderia ser feito contra o estuprador, aí a coisa desandou. Suscitou várias declarações inflamadas contra a Igreja Católica e sobre Deus. Inclusive de alguns irmãos nossos.

O que mais me espantou foi ver o comentário de alguns falando sobre tamanha besteira feita pelo arcebispo de Recife. Então fiz a pergunta que os desconcertaram: “E se o estuprador, a mãe e a garota fosse Testemunha de Jeová? O que deveria aconteceu com eles?”

Nosso ego tem uma medida natural de se achar sempre melhor que os outros. Como TJ então, isso vai ao extremo, principalmente porque sabemos que somos o único povo de Jeová na terra. Mas da mesma forma como os Israelitas – o povo de Jeová no passado - cometiam vários erros, alguns gravíssimos, assim também muitos de nós podem cometer erros similares hoje em dia.

No caso Católico o arcebismo fez bem, segundo as regras da Igreja Católica. Quem pratica um aborto deve ser excomungado. E ele foi. Possivelmente se fossem cristãos, seriam desassociados. Acho que o único equívoco da igreja foi não ter incluído o estuprador na excomunhão. Pegou feio para ele e para a Igreja Católica, que acabou fazendo pior ainda, diante da opinião pública, acabou voltando atrás e estabelecendo que os “assassinos” não fizeram nada de mal.

Uma coisa que me espanta nesses casos é o excesso de “achismos” que algumas pessoas que nunca sequer leram a Bíblia como guia espiritual fazem à respeito de Deus. Acreditam que adorar a Deus é relativo. Um leitor de Veja escreveu “Pela minha visão, Deus ofereceu ao homem a capacidade de pensar, aprender, evoluir e refletir para o exercício de suas escolhas. O homem exercita o livre arbítrio de acordo com as leis do estado, da sua fé e da sua consciência”

Esta declaração seria linda se o autor não fosse uma pessoa relativista, se ele conhecesse a Bíblia ou soubesse que Deus deu o livre arbítrio para que os humanos façam suas escolhas, mas que estejam dispostos a assumir as consequências por essas escolhas. E que às vezes, a conseqüência de nossas escolhas não seja favorável.

Só para lembrar: "Deveras tomo hoje os céus e a terra por testemunhas contra vós de que pus diante de ti a vida e a morte, a bênção e a invocação do mal; e tens de escolher a vida para ficar vivo, tu e tua descendência, amando a Jeová, teu Deus, escutando a sua voz e apegando-te a ele; pois ele é a tua vida e a longura dos teus dias, para morares no solo de que Jeová jurou aos teus antepassados Abraão, Isaque e Jacó que lhes havia de dar.” - Deut 30:19,20

Alguém que pratica aborto vai pagar pelo erro de suas consequências.

Um comentário:

  1. é bom termos o livre arbítrio e o mais interessante é que cada pessoa indivualmente vai dar conta das suas escolhas a jeová e por isso é importante estudar a bíblia para aprendermos a verdade.

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.