quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Então é Natal...



Todo ano é a mesma coisa. Eu tenho que sentar e explicar aos meus colegas de trabalho, que como Testemunha de Jeová não comemora a data do Natal e nem do Ano Novo. Alguns respeitam, outros olham pra mim me achando o maior idiota ou fanático (logo eu?) e tem ainda aqueles que acham que conseguem nos ludibriar tentando burlar nossas crenças (ah, mas é só uma amigolate).

Na verdade eu amo essa época pois é o tempo que posso me dedicar a ser aquilo que sou o ano todo neste blog: polêmico. Detono o natal, falo mal da hipocrisia desta época, ando até com o livro Raciocínios debaixo do braço para não esquecer um só detalhe de tudo que é falso nesta época e no Reveillon.

Mas como Deus não dá asas à cobra, este ano alguém conseguiu ser mais polêmico que eu. Não é que contrataram um judeu na minha empresa? O cara anda com um bonezinho na cabeça, com uma Tora nas mãos e ainda diz que Jesus Cristo não foi o filho de Deus. O cara conseguiu me ofuscar!! Absurdo isso. Pois é, depois de 5 anos, algum dia alguém iria se cansar das minhas retóricas. Viva o novo.

Eu ainda não tive a oportunidade de conversar com esse “judeu”, pois ele é muito novinho e deve ter se embrenhado nessa religião por modismo ou para se aparecer. Interessante mesmo foi uma conversa que tive com um membro da “Igreja Adventista do 7º Dia”.

Quando falava sobre as festas que nós, Testemunhas, não comemoravam, ele informou que os Adventistas também sabem que o Natal e outras festas são de origem pagã, mas festejam para atrair as outras pessoas à sua religião e não serem vistos como “chatos”. Meio sem querer falei: - Vocês estão parecendo com a Igreja Católica que adaptou festas para atrair os pagãos. O cara só faltou me bater!

Mas juro que falei na maior inocência. Ele ainda me deu um argumento fuleiro sobre comemorar o “reveillon”. Ele diz que se o 1º de janeiro é uma data religiosa pagã, nós Testemunhas de Jeová não deveríamos nem considerar o calendário gregoriano para basear nossa vida. Eu me limitei, como sempre, a fazer um gracejo sobre o assunto. “Concordo com você. Eu bem que queria considerar hoje e amanhã como domingo, mas aí eu teria que combinar com nosso chefe...” É cada uma!

Enfim hoje é véspera de Natal. Hoje é dia de reunião... mas amanhã, me aguarde. Eu detesto o Natal, mas amo (“amo”, viu gente? Adorar só a Jeová!) feriados!

2 comentários:

  1. É isso aí, muito bom o post de hoje andré! Me diverti com seu relato.

    ResponderExcluir
  2. fico muito feliz de saber através da palavra de jeová que o natal é uma festa pagã em homenagem a um deus falso, que não existe de verdade, é só uma forma de ganhar muito dinheiro e enganar as crianças com presentes de natal.

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.