sábado, 18 de outubro de 2008

[ Papai Noel ]

Sim, ele existiu, mas nada tem haver com o nascimento de Cristo. É apenas mais uma das invenções da Igreja Católica! Seu nome, na verdade, é Nicolau de Mira, hoje ainda adorado mesmo após o primeiro cisma, tanto por Católicos como Ortodoxos. É considerado o padroeiro da Rússia. Como todos os demais santos católicos, a lenda lhe atribui alguns milagres tais como cura de doenças e ressurreição de crianças. Mas de fato mesmo, há apenas a história que deu inicio a lenda atual do Papai Noel.

No quarto século, em Mira, atual Turquia, existia um bispo de bom coração chamado Nicolau. Conta a lenda que certo dia ouviu na sacristia uma confissão de um pai preocupado pois não tinham dinheiro para pagar os dotes de casamento das filhas e por isso, elas entrariam na vida de prostituição. No dia seguinte, as moças encontraram perto da chaminé de sua casa dois sacos de moedas, que ajudou as garotas e tirou a familia da miséria. Logo depois a noticia se espalhou pela região.

Mesmo não admitindo que era o presenteador misterioso, o povo do vilarejo passaram a desconfiar do Bispo Nicolau, afinal, a Igreja era a única instituição rica do lugar. Desta forma, as pessoas usaram a artimanha de levar seus pedidos à Deus por meio do Bispo Nicolau. Misteriosamente no dia seguinte o presente aparecia na casa da pessoa. Assim surgiu a lenda de São Nicolau, beatificado mais tarde pela Igreja Católica, e consequentemente, Ortodoxa russa.

São Nicolau foi a saída da Igreja para atrair fiéis. O Natal, baseado numa festividade romana de adoração ao deus-sol já era comemorado desde o 3º século pelos cristãos apóstatas, mas faltava um símbolo que chamasse a atenção, uma vez que o nascimento de Cristo, por si só, não era atraente.

Neste contexto, São Nicolau, protedor das crianças, dos mercadores, dos marinheiros e que distribuía presentes, veio a calhar e logo surgiu a idéia de incluí-lo como um dos símbolos do Natal.

Na Holanda passaram a chamá-lo de Sinterklaas. O povo dos países baixos levaram para sua antiga colônia (Nova York) este nome que passou a se chamar Santa Claus. Na Bretanha o chamavam de Father Christmas (Papai Natal), os franceses de Pere Noel que acabou migrando para Portugal como o nosso conhecido Papai Noel.

Assim o Natal, com uma nova roupagem, ganhava o mundo e dava inicio aos festejos que conhecemos hoje em dia.

2 comentários:

  1. E tem gente que diz que é só uma festa inofensiva...

    ResponderExcluir
  2. uma festa em homenagem a um deus falso, isso sim é algo detestável aos olhos de JEOVÁ, que é um DEUS ciumento.

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.