sábado, 12 de janeiro de 2008

[ 147 anos da Caixa ]

A Caixa Econômica Federal, ou simplesmente a CAIXA, comemora amanhã seus 147 anos de existência. Destes, eu participei de seis! As comemorações foram realizadas hoje em todo território nacional. Aqui em Brasília, sede do banco, as comemorações teve ares de festa civil, com direito a hasteamento da bandeira, presença de políticos e etecétera.

A CAIXA foi fundada em 1861 pelo imperador Dom Pedro II para combater os altos juros cobrados por agiotas da época, e para rivalizar com o controle acionário do Banco do Brasil, que embora público, servia aos interesses dos grande mercadores. A CAIXA nasceu então para ser o "banco do povo", mantendo sua missão por todo esse tempo e hoje é utilizada pelo Governo para executar políticas públicas e de benefícios sociais para a população, sobretudo, de baixa renda.

Embora eu ainda não seja funcionário concursado - coisa que pretendo resolver este ano, se Jeová permitir - eu me sinto parte integrante dessa máquina desde quando comecei a trabalhar na agência 0655 (Gama) em 2001 como digitador. Depois da agência, fui transferido para a GIFUG (área do FGTS) e pouco tempo depois para SUARE na Matriz. Lá conheci amigos importantes, aprendi muito e tive a oportunidade de ampliar minha experiência profissional.

Hoje trabalho como Analista de Sistema da CEATI, uma das áreas mais importantes da Caixa Econômica, responsável por guiar e gerenciar as informações para todas as redes do banco. É um trabalho importante para mim. Cada conta aberta, cada benefício que o trabalhador recebe, cada saque, cada empréstimo, cada financiamento realizado pela CAIXA, tem um pouco do meu trabalho ali. E isso me enche de orgulho de trabalhar aqui e de gostar do que faço.

CAIXA. Parabéns pelos centoequarentaesete ano de existência!


.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.