quinta-feira, 13 de setembro de 2007

[ Já bebi absinto ]


Vimos no estudo de livro desta semana como a cristandade dissemina seu veneno espiritual por meio de idéias tolas e creças antibíblicas. Eu mesmo, que passei minha infância e inicio da adolescência na igreja evangélica, sei bem o que é isso.


Como 1/3 do povo brasileiro, sou asmático. Quando criança, as minhas crises eram agudas e agonizantes. Por causa disso era uma criança retraída, não brincava na rua, não jogava bola e vivia no hospital respirando nebulizadores. Eu evitava viagens longas distantes de minha mãe, pois tinha medo de passar mal e "morrer lá". Porém, um dia, não sei por quê, acabei indo para o Retiro de Carnaval da igreja que eu fazia parte. Seria injusto, todos se divertindo, e eu em casa sem fazer nada. Eu tinha 7 anos, e me lembro de poucas coisas, mas o suficiente para perceber o quanto a religião falsa é danosa.


Na primeira noite foi tudo tranquilo, mas no segundo dia, comecei a respirar ofegante, não deu outra, à noite tive uma crise de asma. Então os pastores tiveram a belíssima idéia de "orar sobre mim" para que eu fosse curado! Fui levado a uma sala vazia, onde três homens começaram a gritar no meu ouvido, orações que mais parecia uma locução esquizofrênica; uma quase sessão de exorcismo. Salva... cura... cura... ! E eu, na inocência dos meus 7 anos, acreditei que logo seria curado e estaria brincando com outros colegas.


Depois da sessão de gritaria e parafernália, minha asma teimou em desafiar os pastores e diante da situação, o único jeito foi levar-me para casa. No entanto, por que o Senhor não me curou? A resposta básica foi: eu não tinha fé! Como?! Eu era uma criança bastante dedicada a Deus, orava todos os dias e tinha o sonho de crescer e ser pastor, como é que eu não tinha fé? Aquilo foi um choque para mim, passei a me sentir a pior pessoa do mundo, pois não era digno de ser curado, já que segundo àqueles "representantes de Deus", eu não tinha fé.


Mas isto foi só o começo. Um outro amigo, metido a mais "crente" que os outros, começou a disseminar que eu não tinha sido curado porque eu estava fazendo alguma coisa errada. E como os "errados" iriam para o inferno, passei a acreditar que o meu destino era queimar no lago que arde em fogo e enxofre. Passei noites sem dormir pensando nisso, nada do que fazia, eu achava suficiente bom, pois continuava a ter asma, e assim, continuava a ser um "sem fé". O medo do inferno influenciou tanto na minha vida, que vocês nem imaginam. Quase passava para o lado de lá (me tornando membro do satanismo) por causa desse pavor de queimar no inferno. E, lembrem-se, eu era apenas uma criança de sete anos.


Até o dia em que a verdade entrou na minha vida e me libertou. Acreditam, que o único motivo que me levou a estudar a Bíblia com as Testemunhas de Jeová, embora na época fosse líder da mocidade dos jovens da minha igreja, foi saber que o inferno de fogo não existia como um lugar de tormento eterno? Toda vez que lembro das palavras de Jesus descritas em João 8:32, eu me lembro disso, pois no meu caso, a verdade foi uma grande libertação.


.

Um comentário:

  1. são tantos ensinos falsos que as igrejas ensinam por ai que dar até medo de seguir a DEUS, porém quando conhecemos a verdade conseguimos nos libertar desses "medos" que nos aprisionavam.

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.