quinta-feira, 17 de maio de 2007

[ Seria pecado ouvir T.A.T.U.? ]



Quais seriam as chances de uma dupla pop da Rússia fazer sucesso mundial? Nenhuma, exceto se ela viesse acompanhada de uma polêmica que chamasse a atenção da industria fonográfica. Assim, em 2000, quando um vídeo com duas garotas vestidas de escolares, cantando em russo, se beijando e jurando amor uma à outra, apareceu na MTV européia, acabou fascinando e provocando grande audiência.

Logo se descobriu que a dupla se chamava T.A.T.U. (Se pronuncia tatí em russo e significa “essa que ama aquela”) e era formada pelas belíssimas Yulia Volkova (a morena) e Lena Katina (a ruiva). O estouro foi imediato e a canção original que se chamava “Ya Soshia S Uma” ganhou uma versão em inglês chamada “All the things she said” e virou hit mundial.

A imagem de duas adolescentes lésbicas era marcante e ao mesmo tempo fetichista. O dueto ganhou o mundo, e o jogo de marketing começou a funcionar: foram proibidas de falar com a imprensa e dar autógrafos, não "levantavam a bandeira" do lesbianismo, mas também não desmentiam os rumores, principalmente porque as letras das músicas vinham recheadas de canções de amor claramente ambíguas. Estavam sendo vendidas alí a mais nova dupla lésbica do pop rock.

No entanto, a falta de uma retórica convincente, além do próprio desgaste da imagem forjada, fizeram com que as meninas contassem a verdade: elas não eram lésbicas, mas amigas de infância. Tudo não passava de um jogo de marketing; Yulia tinha uma filha com seu atual namorado e Lena declarou que embora não tenha nada contra o romance lésbico, mas sua paixão eram os homens. A dupla ainda faz sucesso até hoje, mas não mantém o fascínio que mantinha antes.

Durante esse tempo, fomos brindados com algumas canções lindas e legais como “Not gonna get us”, “How soon is now”, “Friend ou foe” e a lindíssima “Gomenasai”. Estes e muitas outras estão compiladas no álbum The Best, que elas acabaram de lançar, que traz ainda a inédita “Loves me not”.

É pecado ouvir TATU? Não vejo nenhum problema. Eu comprei o álbum "The Best" e as canções são legais. A temática são as mesmas, independente da opção sexual, letras de amor, desilusão, essas coisas. Na verdade, T.A.T.U. nada tem haver com lesbianismo, mas com a prova de que tudo neste mundo é o marketing bem feito.


+ + +

"Se eles machucarem você
Eles machucaram a mim também
Assim nós nos ergueremos.
Não vamos parar
E é tudo sobre,
É tudo sobre nós"

All about us, T.A.T.U.

+ + +

Se a Rússia consegue entrar no show business, por que só o Brasil que não consegue?

2 comentários:

  1. As vezes vc escreve coisas q nós como cristãos ñ deveríamos nos envolver

    ResponderExcluir
  2. Oque, por qdeus, oque, hoje, não é considerado pecado[desabafo mode on]

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.