terça-feira, 14 de janeiro de 2014

CRISE DE CONSCIÊNCIA?





Apesar da escrita ruim e arrastada, aliada a minha falta de interesse e preguiça mental, consegui ler grande parte do livro "Crise de Consciência" de Raymond Franz. Para o desavisado - afinal ele é considerado um popstar entre apóstatas e membros de outras religiões mas um total esquecido entre os verdadeiros cristãos - este senhor nada mais é do que um ex-membro do Corpo Governante, que após ter sido desassociado por frequentemente insistir em propagar suas teses pessoais sobre a forma como a Organização deveria ser organizada (sic), decidiu escrever um livro contando sobre os bastidores do Corpo Governante, e como único de sua espécie, virou celebridade gospel.

Lutero moderno?

Fazendo um resumo geral sobre o livro "Crise de Consciência" é óbvio que Raymond Franz apresenta alguns dados conhecidos - afinal ele foi ancião das Testemunha de Jeová e membro do corpo que governa a religião - alguns argumentos fundamentados, mas que se confunde por não seguir uma regra básica ao se estabelecer teses: não finaliza com conclusões procedentes ou não estabelece alternativas viáveis. Deste modo cai por terra a primeira comparação com Lutero, que seus fãs costumam fazer, dizendo que Ray não tinha interesse de atacar as Testemunhas de Jeová, mas apenas pregar na porta de Betel suas "95 teses". Ele não apresenta soluções.

Eu, por exemplo, fui líder espiritual da Igreja Renascer em Cristo,fui um dos pioneiros na igreja quando ainda funcionava num antigo bar em Costa Azul, em Salvador. Fui líder do Projeto Amar, quando mudamos para Pituba, e junto com outro amigo, cheguei a montar e manter uma espécie de célula no bairro de Canabrava. Fiz parte de várias reuniões "secretas" e ajudei a promover vários procedimentos que hoje não concordo, e algumas, acho que são até absurdas. Mas passou! Se alguém me perguntar porque saí da Renascer e depois me tornei Testemunha de Jeová, tenho o maior prazer em explicar, mas daí escrever um livro expondo todas as maracutaias e profetadas que vi a família Hernandes & Cia cometer, ficaria parecendo uma espécie de vingança pessoal de alguém que saiu magoado. Eu não saí magoado da Renascer e por isso não tenho menor interesse em expor seus erros. Inclusive, tenho boas lembranças de grandes amizades que fiz e continuam até hoje. Imagine a cena: eu poderia dizer que vi o Apóstolo Hernandes entrando na tesouraria e colocando no bolso dinheiro das ofertas. Quem poderia acreditar em mim? Qual prova eu teria pra mostrar? A minha palavra? Ninguém acreditaria! 

Da mesma forma, Raymond Franz explica uma série de procedimentos questionáveis que eram feitos no Corpo Governante, como estabelecer escolhas quase na base do "uni, duni, tê...", que muitos apóstatas e religiosos vibram como se fossem verdades comprovadas. Mas ele não comprovou nenhuma. É a palavra de Franz.  Temos apenas suas palavras imparciais e sem nenhum ressentimento, contra o de onze homens idôneos. Num tribunal, ele perderia de goleada. 

Toda generalização é burra!

Eu tenho minhas convicções. Algumas fundamentadas - na minha opinião, vale frisar - outras advindas de frustrações, e algumas de ressentimentos pessoais. Admito. Contudo seria de extrema irresponsabilidade tendenciosa afirmar que a visão, não vou nem dizer dos mais de 7 milhões de Testemunhas, mas daqueles que faziam parte da minha congregação, sejam negativa semelhantes à visão fraca que eu tinha. 

Raymond Franz, admite em vários momentos que havia parado de estudar a Bíblia, que sua obsessão pela Organização chegou a ser maior do que a sua dedicação à Deus. Contudo ele atribui  frustrações projetando suas falhas entre milhões de Testemunhas de Jeová com mentalidade e personalidades diferentes dele, inclusive, dos demais integrantes do corpo governante. Qualquer psicólogo de quinta pode perceber que Raymond Franz passou a idolatrar a Organização que representava. E quando ao chegar ao poder, os demais membros passaram a ter uma visão diferente da dele, entrou em colapso. Isso explica porque ele fala de certa forma, de modo carinhoso da Organização Testemunha de Jeová e atira nas pessoas que em sua opinião desvirtuou do verdadeiro caminho que "ele" achava que deveria seguir. Raymond fala como alguém que foi traído, apunhalado pelas costas, esquecendo que a Organização de Jeová não pertence a homens, nem aos doze que fazem parte do Corpo Governante. 

A Organização de Jeová pertence apenas a Jeová!!

Celebrando o relativismo.

Talvez a maior incoerência do livro de Franz seja a visão que ele tem sobre organização, seja ela qual for. Quando eu afirmei no meu primeiro texto que ele queria formar uma nova religião, alguém me chamou de ignorante (com razão, afinal não tinha lido o livro) porque em vários momentos, seja com o objetivo de evitar ser acusado de apóstata, ou simplesmente porque ele realmente acreditava nisto, Raymond diz que não tinha nenhuma intenção de criar uma "nova organização religiosa". Seus fãs vão ao delírio com essa afirmação. Isso é uma prova de Raymond é puro; ele não é um magoadozinho tentando montar sua igreja, ele apenas está com crise de consciência e quer expor aquela que seria a organização mais hipócrita e satânica do mundo!!!

Raymond Franz se esquece contudo, de além de apontar supostos erros e dizer coisas que não se deveria fazer, de apresentar o mais importante: solução.  Na verdade ele até apresenta:  a anarquia religiosa!  Fechar as portas das igrejas, de todas as organizações bíblicas, nos limitar a uma áurea de espiritualidade. Não deve haver líderes, nem anciãos, pastores ou coordenadores. Não deve existir nem igrejas. Todos são livres para adorar a Deus da forma que achar melhor. Uma espécie de woodstock cristão.

Curiosamente sua teoria é absurda até mesmo para os membros de outras religiões que veem em seus textos a luz para falar mal das Testemunhas de Jeová. Será que eles estariam dispostos a seguir o conselho de Raymond Franz e sair de suas igrejas e recusar a ingerência de seus pastores? Acho que não! Bem, de uma coisa Franz pode se orgulhar. O imenso mar de igrejas evangélicas existentes no mundo se tornaram parte de seu sonho: as leis de Cristo levadas ao máximo ao relativismo religioso. Os Neo-Pentencostais que o digam. 

Vivemos num tempo em que cada vez mais as religiões pregam a liberdade cristã, em vez da responsabilidade cristã! A religião, conforme previsto pelos pais do socialismo, se tornou o ópio do mundo sendo o responsável direto de guerras, mortes e discriminações. Mas o problema não é porque elas existem; o problema é porque elas se afastaram das leis de Deus e dos princípios estabelecidos por Jesus. Se Raymond Franz ao invés de querer estabelecer sua própria verdade, se apegasse aos ensinamentos da Bíblia, se lembraria disso.

Os fãs de Raymond Franz - desculpem a rima - se esquecem que ao falar mal das Testemunhas de Jeová, na verdade ele critica toda a forma de religião existente. Seu maior erro é fazer críticas, mas não apontar soluções convincentes. Se ele quisesse montar uma espécie de Testemunha de Jeová Renovada, poderia até ser justificável. Mas ele queria estabelecer uma visão utópica anti-bíblica, uma visão apóstata do que Jeová estabeleceu. 

Mea Culpa

Numa coisa tenho que admitir que foi benéfica a leitura de "Crise...". Me vi no espelho algumas vezes. Raymond fez uma compilação de coisas que ele ficou ferido por ser constantemente confrontado. Ele fica remoendo erros de ex-companheiros e supostas negligências de irmãos, que todas as Testemunhas de Jeová aprendem desde o primeiro capítulo de Conhecimento: somos todos imperfeitos. Mas Raymond Franz esquece disso e ataca impiedosamente a todos como alguém ferido por ter sido tirado o doce de sua boca. 

Raymond Franz se tornou um dos doze homens mais importantes das Testemunhas de Jeová. Poderia, e teve, o poder de utilizar isso para o bem dos outros. De ser ele mesmo uma influência positiva através de um bom exemplo e ensino. Olha só, ficou a cargo dele a responsabilidade de editar a maior obra literária das Testemunhas de Jeová, o livro Ajuda ao ensino da Bíblia. Ele teve a oportunidade de ser moldado pelo espírito santo de Jeová para produzir o livro que seria o princípio básico de toda Organização. Não quero julgá-lo, mas dá a impressão que assim como Judas Iscariotes, rei Salomão ou o próprio Satanás, ele permitiu que o orgulho e a soberba o dominasse. Deixou de ser um modelo, e acreditou ser um juiz, lugar que Jeová deu somente a seu filho Jesus Cristo.

A atitude negativista dele me fez ver o que eu estava me tornando. "Crise de Consciência" selecionou e interpretou informações de modo a estabelecer uma visão fortemente negativa das Testemunhas de Jeová. Admito que sou crítico, especialmente naquilo que eu considero uma supervalorização do processo de desassociação, mas ao invés de criticar por criticar, eu apenas quero mudanças naquilo que entendo que está errado, e acredite, tenho soluções. Mas continuo confiando nesta Organização e espero que assim como ocorreu com as centenas de princípios que foram realinhados nos últimos anos, um dia as regras humanas estabelecidas para a desassociação sofrerá mudanças. Mas se um dia não sofrer, isso é apenas uma gota no balde de uma imensa fonte de verdades e evidências de que as Testemunhas de Jeová, em relação a qualquer outra religião, são as únicas que realmente acreditam e se esforçam em fazer a vontade de Deus sem almejar benefícios materiais. 


Raymond Franz, você morreu e não foi pro céu!

O nível de ignorância dos fãs de Raymond Franz é tão grande, que eles não se dão ao menos o luxo de pesquisar sobre a religião que tanto seu ídolo criticou.  Entre a maioria das manifestações negativas do meu primeiro texto criticava o título que eu dei.  

Néscios! Não perceberam que utilizei uma analogia irônica a uma das principais crenças das Testemunhas de Jeová; a de que milhões que agora vivem, ou morreram, serão ressuscitados para viverem para sempre aqui na Terra. E que conforme o livro de Revelação apenas 144 mil ungidos irão ser ressuscitados para viverem no céu. Quando afirmo que Raymond Franz morreu e não foi para o céu, quero dizer apenas que ao apostatar, ele perdeu o favor de Jeová e o privilégio de estar entre estes.

Se ele será perdoado e terá o privilégio de estar entre os milhões de ressuscitados para viver na Terra, não cabe a mim julgar, mas unicamente ao nosso Senhor Jesus Cristo, o único, eu disse, o único juiz designado por Jeová!



33 comentários:

  1. Cara, tomei um susto quando eu vi o título deste post. Imaginei logo: o André apostatou de vez! Ledo engano! Com muita veemência você defende a Organização e muitos pontos dos quais você abordou sobre Ray Franz são coerentes com o meu ponto de vista. Ele deixou que a sua soberba falasse mais alto por não aceitar as medidas disciplinares que a Organização teve de aplicar (bem merecidas). É uma leitura maçante. Por vários motivos eu pensei em desistir de concluir a leitura, mas eu tenho o hábito de ler um livro até o final e uma parte muito chata foi quando ele comentava sobre o jantar com o Peter Gregerson do qual culminou na desassociação do mesmo. Se eu tivesse ideia da improficuidade do livro, eu nem tocaria no mesmo. De certa forma, minha fé em Jeová e suas provisões espirituais aumentaram. Não importa se Raymond Franz chegou ao topo; o importante notar que, como um câncer, ele foi removido (desassociado) para longe do povo de Jeová para a permanência da adoração pura e a vindicação correta da soberania do nosso Deus, Jeová. Não sou TJ ainda, mas em breve serei.

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pela sugestao de livro, sempre tive curiosidade em ler esse livro mas tinha medo, agora vou ler sem culpas
    Abcs marli

    ResponderExcluir
  3. Quem tem consciência e certeza de sua fé, não tem problemas. É um livro que prega o relativismo. Ele poderia ter sido Testemunha de Jeová, Adventista, Mórmon, o alvo de Ray não é atacar sua "ex-religião", mas promover sua visão de relativismo religioso. Uma perda de tempo!

    ResponderExcluir
  4. Por favor, tire o meu comentário que te fiz. Espero que seja homem suficiente para atender uma solicitação. Não posso compactuar com a sua apostasia. Fui precipitado, me perdoe pelo transtorno, mas peço que retire o primeiro comentário.

    ResponderExcluir
  5. Isso foi estranho, só vi julgamentos das motivações do autor. Alem disso, creio que no livro "Em busca da Liberdade cristã" Raymond tenha dito que as religiões podem existir e as denominações e pastores também, só que o errado é ser 'escravos' da mesma.

    ResponderExcluir
  6. Oilusionista, as motivações do autor são necessárias para se estabelecer o padrão e o objetivo do livro "Crise de Consciência". O livro é utilizado para se falar mal das Testemunhas de Jeová, contudo, sua motivação não era necessariamente falar mal da organização que ele serviu, mas propagar sua ideia de flexibilidade e relatividade da religião.

    ResponderExcluir
  7. PARTE 1

    Prezados blogueiros,

    A leitura dos livros "Crise de Consciência" e "Em Busca da Liberdade Cristã" não teve em mim poder edificador, como descrito nas palavras inspiradas de Provérbios 12:18. Este provérbio assinala de maneira bem simples que quando um ser humando não reflete profundamente antes de falar, o resultado são palavras que em vez de apenas ter poder de levantar alguém, podem derrubar. Fico pensando na motivação de R. Franz em escrever estes livros. Será que ele realmente queria edificar seus leitores-alvo? Será que realmente quis ajudá-los a edificar uma fé firme em Seu Criador, descrito em Sua própria Palavra como 'Deus de ordem', e portanto 'organizado'? - 1° Coríntios 14:33, 40.

    Notei sua determinação ávida de atacar bastante a revista "A Sentinela", na qual ele mesmo escreveu muitos artigos que, tenho plena certeza, foram bem preparados com apoio de vários princípios da Bíblia. Mas vocês já pararam para pensar que os artigos da mesma revista que ele critica não tem palavras que geram tanta revolta entre as pessoas quanto os termos que ele usou nos livros que publicou? Por que será que isto aconteceu? Cada um tem sua coinsciência dada pelo Criador, e pode responder essa pergunta a ela mesma em seu íntimo...

    Pelo que me pareceu óbvio, o objetivo de R. Franz, bem evidente em suas duas obras literárias, foi o de desacreditar um povo que tem se esforçado para produzir ajustes positivos na vida de pessoas sinceras, e portanto na sociedade como um todo. Vocês acham que a ajuda que as testemunhas de Jeová tem dado à muitas pessoas para entenderem as Escrituras mais plenamente são inválidas? Raymond Franz achava que sim. Ele mesmo disse que se sentia envergonhado de ter sido testemunha de Jeová. Parece ter insistido demais na ideia de que outros o vissem como parte do problema, em vez de parte das soluções que todos nós podemos produzir com a ajuda de Deus. (Mateus 19:26) Mas o que tenho visto no meu bairro são bons vizinhos que tem agradecido a visita desse grupo religioso à sua casa, para transmitir uma mensagem de paz da Bíblia. Admiro o esforço deles em abrir mão de confortos pessoais para transmitirem pensamentos bíblicos a outros! Conheço pessoas que depois de estudarem as Escrituras com o apoio das testemunhas de Jeová: estão bem mais animadas; dispostas e felizes; não consideram o serviço de pregação um fardo; são honestas; amorosas; prestativas e bem equilibradas. Noto que a maioria dos jovens testemunhas de Jeová não são filhos de pais testemunhas, mas jovens que usaram sua inteligência para analisar seus ensinos e os aceitaram de bom coração. Admiro a fibra moral que a maioria deles têm, ajudando até os mais velhos nas atividades do dia-a-dia. Anseio um mundo onde jovens assim fôssem a maioria, como ocorre nesse grupo religioso!

    ResponderExcluir
  8. PARTE 2

    Creio que os comentaristas a favor de R. Franz nesse blog poderiam de modo franco pensar na seguinte verdade provada pela experiência: "A verdade é filha do tempo". Não se preocupem demais com o que ocorrerá com as testemunahs de Jeová. Se elas realmente não forem verdadeiros adoradores de Deus, o tempo mostrará isso. Lembram-se do instrutor Gamaliel, citado no livro de Atos 5:34-39? Notem: ele não era testemunha de Jeová, mas disse algo muito profundo em que acho que todos nós deveríamos refletir. Pois é algo muito curiosos Deus ter permitido que palavras internas de um tribunal humano - o Sinédrio - terem sido registradas nas Escritutas com a orientação de Seu Espírito: "Homens de Israel, prestai atenção a vós mesmos quanto ao que pretendeis fazer com respeito a estes homens. Por exemplo, antes destes dias, levantou-se Teudas, dizendo ser alguém, e certo número de homens, cerca de quatrocentos, juntaram-se ao seu partido. Mas ele foi eliminado, e todos os que lhe obedeciam foram dispersos e redundaram em nada. Depois dele levantou-se Judas, o galileu, nos dias do registro, e arrastou muitos após si. Contudo, esse homem pereceu, e todos os que lhe obedeciam foram espalhados. E assim, na atual situação, digo-vos: Não vos metais com estes homens, mas deixai-os [em paz]; (porque, se este desígnio ou esta obra for de homens, será derrubada; mas, se for de Deus, não podereis derrubá-los;) senão podereis talvez ser realmente achados como lutadores contra Deus."

    Resumindo, creio que só o fato de Raymond Franz ter se preocupado demais em criticar um grupo religioso é algo que mostra séria falta de confiança no Criador do céu e da terra. Procurar 'derrubar' este ou aquele grupo religioso por meio de palavras duras e, segundo analisei a per si, argumentos recheados de mágoa por expectativas pessoais não cumpridas, foram as maiores provas de que Ele não acredita que Deus está supervisionando as obras religiosas aqui na terra. Parece adotar o ponto de vista de que Deus não está no controle das coisas. É uma pena ele tentar motivar outros a 'lutar contra Deus'. Pois quem somos nós para julgar um grupo religioso, seja qual fôr?

    É o que penso, pelo modesto conhecimento que Deus e seu espírito me ajudaram a adquirir das Escrituras Sagradas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Interessante é que a torre não é nada complacente com as outras religiões, ao contrário, as esculaxa.

      Excluir
  9. ANDRÉ, SOBRE SEU COMENTÁRIO POSTADO.: ""Incrível, mas não li nenhum relato de fogueiras sendo acendidas em Betel, por que não adianta falar em figuras de linguagem; qualquer menção à inquisição tem que ser literal. O que os irmãos fizeram foi o que qualquer organização religiosa faria com membros que claramente se colocasse contra os seu líderes ou às suas doutrinas. "" - INCRÍVEL, MAS CLIMA DE INQUISIÇÃO SIM. PASSEI POR ISSO. EM 94 DEVIDO 'A UM ARTIGO DO EXTINTO JORNAL FOLHA DA TARDE ESCRITO EM OPINIÃO PRÓPRIA POR UM JORNALISTA PAGODEIRO QUE ODIAVA ROCK, FALOU MUITAS ASNEIRAS, O QUE FOI ACATADO PELA COMISSÃO DE BETEL COMO "VERDADE" . O CLIMA EM BETEL ERA REALMENTE DE CORÉIA DO NORTE SSSSIIIMMM, ONDE CADA MEMBRO DA FAMÍLIA FICAVA DE OLHO NO SEU IRMÃO, SE ESTAVA "OUVINDO ROCK" . CASO ALGUÉM FOSSE PEGO OUVINDO ACDC OU KISS POR EXEMPLO.....ADEUS..., COM CERTEZA SERIA OBRIGADO A "DEIXAR BETEL" , POIS AFINAL OS BETELITAS PRECISAM SER "MAIS SANTOS" QUE OS OUTROS. A RELIGIÃO É UM MAL NECESSÁRIO. EM TERMOS DE RELIGIÃO AS TJs ESTÃO NO TOPO. É O ÚLTIMO DEGRAU. PARA A RELIGIÃO, CLARO. MAS OS DEGRAUS CONTINUAM, A EVOLUÇÃO NUNCA PÁRA E TODOS SÃO ACLAMADOS PARA "VOLTAR AO SEU LUGAR DE ORIGEM". "O SEU LUGAR DE ORIGEM DE ONDE NUNCA DEVERIAM TER SAÍDO." A BANDA CASA DAS MÁQUINAS ESTAVA CERTA.... : " evoluir pra poder amar, e amar muuuito mais pra poder evoluir" - IRONICAMENTE, CASO O REI DAVI NASCESSE EM 1950 DE NOSSA ATUALIDADE, COM CERTEZA SERIA UM EXÍMIO GUITARRISTA. DOS BONS!! *o maior tesouro de um homem é o SE CONHECER* Simples assim.: EU SOU O QUE SOU((logo você é 'o que você é')). E conhecereis a verdade e a verdade vos "LIBERTARÁ". Totalmente! A VERDADE ASSOMBRA AS PESSOAS. O MEDO, A VERDADE NUA E CRUA.
    A verdade, pouca gente sabe
    A verdade, dóí...
    Se você já descobriu
    Por que não sai daqui?

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Em primeiro ponto já estou junto a torre por 22 anos, e achei por bem fazer algumas pequenas colocações sobre o maior dissidente da Watch Tower, Raymond Franz. Ao fazer suas manifestações que em grande parte concordo serem verdades absolutas de um membro que esteve presente no alto escalão da torre, a direção centralizada. O motivador do desligamento de Raymond que ocorreu de forma desonesta segundo ele, por uma refeição tomada com seu empregador, foi um entre muitos motivos para seus depoimentos contra a torre. No entanto, em seu livro ‘crise de consciência’ ele fez uma implacável varredura de cada canto dos bastidores da torre de vigia de forma imbatível, quando nenhuma Testemunha de Jeová conseguia rebater o seu ponto de vista, (digo membros de alta patente). Ele ‘não atirava nas pessoas que desvirtuavam de seus conceitos’ mas antes expôs as normativas humanas e regras rígidas e mutantes que careciam de amparo bíblico e que segundo ele dirige cada aspecto da nossa vida em todos os âmbitos, e tenho que concordar com essa verdade. Pra ser mais sincero, uma entidade que controla até a vida íntima de um casal sem nenhuma base bíblica, não pode dizer que nos dá liberdade cristã. Ele não idolatrou a entidade, mas antes sugeria mudar o que estava errado enquanto no CG, mas isso foi improvável e por isso sua expulsão seria o melhor caminho para uma entidade que não deseja ter livres pensadores. Nós conhecemos bem a política ditatorial da torre, e por isso temos que nos recolher ao nosso canto ou então cair fora, claro que de forma desonrada como expulso ou dissociado. Que o digam os próprios defensores da torre no site ‘testemunhas de Jeová defendidas’, quando eles se apresentam como anciãos e servos de várias partes, mas no entanto se identificam com pseudônimos ou no anonimato mesmo estando em defesa da torre.

    ResponderExcluir
  11. Sincero, discordo apenas da sua afirmação "quando nenhuma Testemunha de Jeová conseguia rebater o seu ponto de vista, (digo membros de alta patente)."

    Todas as ideáis de Ray foram amplamente debatidas e refutadas, uma a uma. E ele foi desassociado, porque ele insistia em tentar impor suas ideias, disseminando dentro de Betel.

    O problema de Ray, não era especificamente com as Testemunhas de Jeová; ele tinha uma visão, digamos, anárquica, de que nenhum grupo organizado deveria representar Deus na Terra. Tanto que mesmo depois de ser desassociado, ele nunca conseguiu seguir nenhuma religião organizada.

    ResponderExcluir
  12. OLÁ MEU AMIGO VC PODERIA ME INFORMAR ONDE POSSO ADQUIRIR ESSE LIVRO FAZ TEMPO QUE EU O PROCURO E NÃO CONSEGUI AINDA

    ResponderExcluir
  13. Você foi readmitido André?

    ResponderExcluir
  14. Como pode você se dizer membro orgulhoso de ser TJ e dá a maior mancada dessa, ler artigo, segundo você apostata? e não só você segundo comentários tem um balaio de de Tj's no mesmo caminho que você....quanta hipocrisia...Vai ler Sentinela e fazer o que o Watch Tower te manda fazer hoje, pois o amanhã eles vão mandar você fazer o de dois ou três semanas atrás! Creio que tem de haver mudanças, mas a base de sofisma??! E em questão 365 dias voltam ao mesmo ponto ao qual foi mudando a 365 dias antes?? Paradoxo? Verdade é um paradoxo??

    ResponderExcluir
  15. Pessoal se concentrando no autor, não no conteúdo dos seus textos... Aí não dá. Enquanto Franz não é nenhum exemplo de vida, o que ele escreveu também não pode ser descartado. Lembrem-se: Tudo tem dois lados e o único capaz de julgar verdadeiramente é Deus.

    ResponderExcluir
  16. Seja mais específico. Explique os meus sofismas.

    ResponderExcluir
  17. Fiz um comentário curto e educado como anônimo e o mesmo não foi aprovado. Ohh juiz André, perdoe-me....

    ResponderExcluir
  18. André vou apontar alguns comentários do anônimo acima, que manifesta uma posição dogmática inerente de quase todos nós adeptos da torre, mentalmente manipulados, e aterrorizados, caso desviemos de “alguma ordem” da direção centralizada. Antes perpasso que tenho 23 anos junto à torre, mas não fui vedado pelo véu atenuante da Watch Tower, por isso, sei que você anônimo não desejará dirigir-me de forma volitiva como “irmão” por não estar submisso obcecadamente as normativas da torre. Você arguiu que “tem um balaio de Tj's no mesmo caminho que você....quanta hipocrisia...Vai ler Sentinela e fazer o que o Watch Tower te manda fazer hoje, pois o amanhã eles vão mandar você fazer o de dois ou três semanas atrás! Creio que tem de haver mudanças, mas a base de sofisma??! E em questão 365 dias voltam ao mesmo ponto ao qual foi mudando a 365 dias antes?? Paradoxo? Verdade é um paradoxo??” Não consegui nexar bem sua ideia no contexto geral, mas vou abordar o que entendi. A apostasia mencionada tem duas vertentes. Realmente muita coisa vem de oponentes malévolos que só querem denegrir a torre, mas a maioria da informação é procedente quando se vem de membros dissidentes idôneos que estiveram lá dentro, mas não todos é claro. O passado obscuro da torre foi exposto na internet, bem como o que ocorreu e ocorre de errado nos bastidores, e isso é inescapável, por isso a Wach Tower “nos manda ler só suas publicações e evitar a internet”. A pergunta que faço é: Onde realmente está o sofisma? Não seria também nas diretrizes e ordens internas muitas vezes não bíblicas e impostas a nós como fantoches que aceitam ou rejeitam qualquer virgula escrita, mas se discordarmos seremos sacrificados como hereges, expulsos e relegados ao ostracismo. E o que dizer de ensinos que foram mudados, e previsões de fim do mundo que não se confirmaram, mas então por que ninguém da direção foi penalizado por isso? Mas, se um dos pequeno membros o fizer ele será expulso.

    ResponderExcluir
  19. Bom, você disse que sequer leu o livro inteiro, ou seja, não sabe do que fala. Franz ao menos foi corajoso, porque seria mais vantajoso se manter em betel com os carros de luxo a disposição e a bajulação que todo membro do corpo governante recebe. Fui ancião 15 anos, e sei como funciona a estrutura da organização, existem bons anciãos, mas também podem existir carrascos, e estes ficam lá por um bom tempo. Mas no fim das contas, não é possível diálogo com as TJs em geral, elas são tudo e todo mundo nada. Elas sabem de tudo, e a humanidade inteira nada. Típico de exclusivistas.

    ResponderExcluir
  20. até onde eu sei, as Testemunhas de JEOVÁ, nunca afirmaram serem infalíveis, ao contrário,: eles deixam isto bem registrado nas publicações mencionadas sobre possiveis acontecimentos.
    Mesmo que tenha havido enganos, (pois são imperfeitos como todos nós) Ainda acredito na Organização, pois é a única que me passa sinceridade e verdadeira busca em fazer a vontade de DEUS.

    ResponderExcluir
  21. 90% das Testemunhas de Jeová são míopes.

    É evidente que a política da religião passa por cima das Escrituras!!!
    Exatamente como acontecia na época de Cristo.
    Só um cego não enxerga isso.
    quantas vezes eu ja não presenciei anciãos em comissões judicativas, baterem a mão no peito e dizer: "Jeová usa isso aqui (comissões) para manter a pureza da congregação. Batem no peito como se a decisão deles (anciãos) fossem a dó propio Jeová. Só rindo né.
    Fora que o esquema de comissão não existe nas escrituras, sem base alguma. Esse comportamento se assemelha a Igreja Católica do 10 ao 15 século.
    Quantos vezes ante de ser servo não ouvia isso: Você tem que manter sua regularidade de horas para que a gente possa te designar.
    Por que você em um mês faz 10 hs, depois 7, depois 13 hs, depois 6hs.
    Cara, onde isso é Bibilico? Ter regularidade de horas para ser designado servo? Onde que tem isso nas escrituras? Paulo deixou claro so requisitos que um servo ou ancião teria que ter.
    E é exatamente isso que Franz aborda no seu livro, que a palavra, a tradições de homens prevalecem sobre as escrituras .
    Esse é o maior defeito da dianteira das Testemunhas de jeová.
    Quando eu conversava com minha mãe dizendo que Cristo não havia designado as Testemunha de Jeová, q sobre todos os seus bens,que isso iria acontecer em um momento futuro, ela só faltava me bater!! Aí ano passado sai uma Sentinela onde se reconhece que Cristo não havia designado as Testemunhas de Jeová sobre todos os seus bens.
    É isso que Franz aborda, como a verdade de ontem não é a de hoje?
    Verdade é verdade e ponto final.
    Jeová não manca em opiniões e nem erra.
    É evidente que há duas balanças na Organização.
    As pessoas são julgadas em cima de "verdades" indiscutiveis.
    Passam-se anos ai muda a verdade!!! E as pessoas que foram julgadas e que foram injustiçadas?
    Aí temos que ouvir: "Deixa nas mãos de Jeová".
    Não dá pra dialogar mesmo com as testemunha de jeová, pois mesmo quando estão erradas, ainda estão certas, ainda são abençoadas.
    Aff
    Pior cego é o que não quer ver mesmo.

    ResponderExcluir
  22. Rafael, vamos virar ateus? Por que o processo de escomungação (desassociação) é inerente de toda religião.

    Sugiro ler meu artigo DESASSOCIAÇÃO EM OUTRAS RELIGIÕES.
    http://alberguedoandre.blogspot.com.br/2015/05/desassociacao-nas-outras-religioes.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ja fui "desassociada" em minha igreja,mas não fui discriminada,fiquei de frente a uma igreja inteira me olhando,por ter ido a uma festa de peão,recebi o castigo ,que foi o afastamento mas em nenhum momento fui discriminada,nao e isso que ocorre com os TJ,que perdem sua própria família,se comecarem pesquisar...mas como disse nosso colega acima o pior cego é o que não quer enxergar.

      Excluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Duvido vc aprovar meu comentário e partir pra um debate comigo.vcs são uma fraude

    ResponderExcluir
  25. Amigos, como sempre aqui se debate religião. Todas são falhas, porque toda religião é dirigida por homens e como até os apóstolos erravam... Enfim o problema é esse, todo religioso afirma que seu time, é o melhor, religioso é fanático, igual a torcedor de futebol. Agora fica a pergunta: A maioria das "religiões ocidentais" e aí incluídas as Testemunhas de Jeová tem a sua religião baseada na Bíblia (Base dos seus costumes). Logo respeitam o Antigo Testamento, que foi escrito para os Judeus...e o Novo, que foi escrito para os chamados a Nova Aliança, a Graça de Cristo. E aí vemos que nenhuma, eu digo nenhuma religião dita bíblica vive o que está escrito no Novo Testamento. Logo chegamos facilmente a conclusão de que todas as religiões bíblicas neotestamentárias falham e estão muito, mas muito longe de agradarem ao autor das escrituras. E fica uma pergunta para todos: Quem deu autoridade aos líderes religiosos? Foi realmente o Criador Supremo? Como você sabe? Como você pode garantir isso? Porque até o diabo conhece a Bíblia, tanto que usou as escrituras para tentar a Jesus. Estamos vivendo a vontade do Criador ou a vontade dos homens? Quem nos liberta, o conhecimento do Criador ou o achismo dos homens? Então para os NEOTESAMENTÁRIOS, fica uma dica: Se desliguem de tudo que já lhe falaram até hoje, e leia o NOVO TESTAMENTO, nu e cru, como ele é de verdade, leiam na Bíblia da Torre, leiam na Bíblia dos crentes, leiam na Bíblica católica, leiam de preferência no original grego...leiam sem dogmas, apenas leiam, busquem o conhecimento genuíno sem contaminação de outras opiniões...depois me digam qual foi o resultado...

    ResponderExcluir
  26. Fui TJ desde a minha infância, mas não conseguia aceitar em meu coração alguns ensinamentos, não tinha cabimento. Exemplos: a proibição do sangue, a data de 1914, o Corpo Governante, aos 144 mil que vão para o céu, os que viveriam na terra mas não podiam comer do pão e do vinho, não comemorar aniversários... Lia a Bíblia e não achava nada que desse uma base tão evidente de que esse ensinamento era o certo. Tudo isso era baseado numa interpretação do texto, e muitas vezes nem mesmo um texto específico tinha. A proibição do sangue a meu ver era um dos casos mais graves, pois estava diretamente ligado à vida da pessoa, será que se o entendimento estivesse errado apenas dizer a Jeová no Juizo que rejeitou porque foi ensinado pela "organização" liberaria a pessoa de culpa de sangue? A interpretação de livro Atos quanto a retomada da questão do sangue aos cristãos é, no mínimo estranha. Até porque, a questão da proibição de comer sangue, já no antigo Israel, tinha muito mais que ver com a idolatria do que com o alimentar-se do sangue propriamente. O verter sangue / alimentar-se de sangue era uma prática de adoração comum aos deuses falsos e, Jeová havia colocado esta proibição para que o povo ficasse livre da idolatria. Ele estabeleceu que o sangue deveria ser vertido apenas a ele por meio dos mandamentos específicos. Este é exatamente o mesmo sentido do livro de Atos, basta ler o capitulo completo e não só um trecho, há um contexto. Realmente, como cristãos podem acreditar que Deus desejaria que você rejeitasse um procedimento médico que pode salvar vida apenas para provar sua fé? Quando ele fez algo similar? A Biblia diz que Deus não nos testa por coisas más, se a orientação dos apóstolos foi dada pelo espírito santo de Deus e colocarmos nestes termos, estaremos dizendo que sim. Quem testou por coisas más, morte, doença foi Satanás a Jó e a Cristo. Será que estão confundindo o Criador com outra pessoa?

    ResponderExcluir
  27. Minha fé continua presente, continuo lendo a biblia, mas duas versões, no mínimo para comparar a tradução. As publicações religiosas abandonei desde que me dissociei, pois elas já são uma interpretação do livro supremo - a bíblia - e, querendo ou não, já estão contaminadas por conceitos doutrinários de cada segmento religioso. O cristianismo primitivo se perdeu, transformou-se na igreja católica que se contaminou com paganismo, idolatria e outros. Por mais que se tente reproduzir o que era a igreja nos tempos dos apóstolos, as doutrinas religiosas não permitem. Como citei, o pão e vinho da ceia, eram bebidos e comidos por todos. Na TJs, apenas uma minoria absurda, sob justificativa que apenas os que vão para o céu podem comer. Mas onde na bíblia diz isso? Não há nem mesmo sequer uma alusão a este ensino nas escrituras. No Israel antigo, basta ver na Lei de Moisés, até o estrangeiro participava ativamente das festividades e era considerado igual ao judeu nato desde que circuncidado. Se, na nova aliança com Cristo a circuncisão é a do coração, qual a razão das outras ovelhas não participarem, afinal elas também fazem parte do novo pacto, pois, se não fizessem, não seriam ressuscitadas para a nova terra.
    A data de 1914 é uma aberração, desculpem-me. Quem quiser busque na internet o livro Tempos dos Gentios Reconsiderados, o estudo é muito profundo, todas as fontes são citadas e a grande maioria estão disponíveis na internet ou são fáceis de se encontrar nas bibliotecas e livrarias. Mas resumo a questão com uma consideração que sempre me fiz: se o antigo testamento já permitia uma cronologia dos tempos, como é possível que os apóstolos ou os primeiros cristãos, cheios de espírito santo, não tivessem conseguido calcular as datas de entronização do reino? Alguns vão dizer que não era para aquele tempo, era para os nossos dias... Ok, mas esta resposta entra em conflito com o que disse o próprio Cristo e nos Evangelhos e em Revelação que "acerca daquele dia ninguém sabia, nem mesmo o filho, apenas o pai" e, que "o dia viria como ladrão", ou seja sem aviso. Se Jeová tivesse incluído um meio de calcular os eventos do fim, as palavras de Cristo seriam mentirosas. Terrível, mas quem aceita a cronologia basicamente desconsidera este raciocínio simples. Quanto aos outros, poderia dar vários argumentos aqui.

    ResponderExcluir
  28. Enfim, digo apenas que pedi minha saída porque: 1. não estava conseguindo mais passar adiante um ensino que poderia estar totalmente falho, principalmente estando consciente e percebendo as falhas; 2. já estava deprimida lá dentro, me sentia pressionada e aprisionada. Tudo tinha que ser dogmatizado, até mesmo assuntos que não estavam expressos na bíblia, que seriam questão de consciência já eram motivos de repressão, crítica. Cheguei a ver nas publicações "princípios" criados (com base em textos genéricos e/ou que a aplicação era explicitamente outra serem recondicionados para outro contexto a fim de corroborarem com alguma regra que se queria estabelecer) para servir de disciplinamento e até desassociação. Exemplos: dizerem quais eram as praticas sexuais permitidas e não permitidas para um casal cristão a fim de que o homem pudesse ter uma designação. Confesso que busquei e não achei nada na bíblia dizendo se sexo oral era permitido ou não, esta era evidentemente uma questão de consciência e conversa entre o casal, algo particular. Mas até nisso quiseram se envolver para atormentar os irmãos e criar um clima de medo. Pensava comigo: será que vão perguntar a todos os casais da congregação como eles fazem sexo, quais as posições? Era um absurdo e isto aconteceu. Para se ver a que ponto se chegou para se ter o controle das pessoas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você que essa questão de sexo é uma questão de consciência e conversa entre casal, mas nunca houvi falar que TJ dita as posições corretas que o casal deve seguir. EU já vi num discurso um comentário que nenhum dos conjuguês deve tentar forçar o outro a fazer algo que não quer. Pode me indicar uma publicação onde eles dizem isso??

      Excluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.