quarta-feira, 26 de novembro de 2008

[Poesia resgatada]



MINHA MENINA

Alva da manhã em corpo de bela

Aparece a mim como uma aquarela

Vejo seu corpo num rápido olhar

Meus olhos sem pudor, em suas curvas a deslizar

Eis que vejo uma grande mulher

Mulher num sorriso de menina

Desculpe-me a ousadia

Mas admito que de primeira instância

Apenas o seu corpo via

Te imaginei nua

Te imaginei minha

Minha boca encostada à sua.

E com meu coração

Não te deixavas mais sozinha.

Te conheci um dia.

E o corpo de mulher tem a beleza de menina

Menina levada. Menina travessa.

Que de inocente nada havia.

Menina carente. Menina decidida.

Das ilusões que já caiu um dia.

Aprendi a te gostar não pelo que tinha.

Mas pelo que pudesse de ti, admirar.

E agora mudaste. Não és mais triste.

Não és mais carente. Não é mais sozinha.

Menina alegre. Menina brilhante.

Menina que aprendeu amar um dia.

Menina saliente. A minha Menina.

A quem aprendi amar todo dia

Com quem quero ficar toda vida.

Se assim você desejar.


= = = = =

Por André Lago, escrevido em 15.10.2002.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.