domingo, 17 de agosto de 2008

[Foi por medo de avião...]


Depois de oito dias de descansos merecidos em Salvador, retornei hoje para Brasília. Estou exausto, mas ao mesmo tempo aliviado, pois estava precisando dessas folgas. Uma coisa é ir sozinho, onde a viagem nada mais parece do que um reencontro de amigos e familiares.

Mas dessa vez fui com minha noiva e sua filha (que conseqüentemente, se torna minha filha também). Como acompanhante e guia turístico forçado, curtir minha cidade também como turista. Centro Histórico, Pelourinho, Lagoa do Abaeté, Praia de Piatã, Jaguaribe, Placafor, Itapuâ, Barra, Porto da Barra, piscina do SESC, ilha de Itaparica, ilha de Maré, enfim, tudo tem outro sentido quando se vai com olhos de turista.

A única coisa que não me acostumei ainda é viajar de avião. No início achava que era frouxidão de principiante, mas após 6 vôos (não sei se isso é uma boa média), descubro que meu medo é crônico e nunca vai se acostumar. Na verdade, meu grande problema com aviões é com a aterrissagem. Não tenho medo da decolagem e nem na tranqüilidade quando se chega lá em cima, mas basta o comandante dizer que vamos aterrissar, eu entro em desespero. Meu coração vai à mil em cada solavanco causado pelas correntes de ar ou “curvas” que o avião faz para acertar o caminho da pista de pouso.

Enfim, fora isso (que causou várias e repetidas orações à Jeová ao ponto de minha noiva achar que eu já estava ficando doido), a viagem correu tranqüilamente.

Amanhã é segunda-feira e voltam-se os dias normais.

3 comentários:

  1. andre e desde qdo vc ta noivo? vc vive falando que está sozinho... explica isso.

    ResponderExcluir
  2. OLÁ ANDRÉ É MUITO BOM TIRAR FÉRIAS,
    TIREI A MINHA O MÊS PASSADO, NÃO VIAJEI P/ MUITO LONGE, MAS VALEU A
    PENA, CONHECI ALGUÉM ESPECIAL E
    CONTINUO MANTENDO CONTATO.
    FICO CONTENTE EM SABER QUE TAMBÉM ENCONTROU ALGUÉM.
    VC. ESTAVA MUITO MELANCÓLICO(ME DESCULPE A INTIMIDADE)DEPOIS NOS CONTE ISSO DIREITO.
    ACOMPANHO O SEU BLOG A MUITOS ANOS E TORÇO P/ VC. SEJA MUITO FELIZ.
    UM ABRAÇÃO.

    ResponderExcluir
  3. Este era o problema. Achavam que minha depressão era "dor de cotovelo" ou "amor perdido". Eu já tinha dito que minha solidão da vida nada tinha a ver com isso. Se Jeová não mudou minha visão de vida, quanto mais uma noiva.

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.