segunda-feira, 11 de junho de 2007

[ Amor à distância ]

"O que restou do nosso amor ficou no tempo,
esquecido por você...
Vivendo do que fomos, ainda estou,
tanta coisa já mudou, só eu não te esqueci.

A distância, Roberto Carlos.


+ + + + + + + + +


Você acredita em amor à distância? Será que é só eu que não consigo levar fé num troço desse? O caso mais extremo que conheci até hoje foi de minha amiga Francis, que conheceu um irmão da Alemanha, em Salvador, e hoje está casada com ele há mais de 10 anos. Ele veio uma vez e se conheceram; seis meses depois ele voltou e ficaram noivos, 1 ano mais tarde eles se casaram e ela foi ser mais uma brasileira na terra do "Chucrute". O amor se criou e sobreviveu por quase dois anos somente à base de cartas e telefonemas (é porque há 11 anos, internet ainda não era tão popular assim).

Eu acho que já devo ter encontrado um monte de "grande amor da minha vida" mas que morreu devido à distância. Eu sou muito pegajoso: gosto de estar perto, de abraçar, de poder fazer carinhos, de tirar o cabelo do rosto, de olhar nos olhos, perceber o sorriso, de segurar na mão, de acompanhar; e a distância não nos privilegia com essas coisas. É complicado.

No entanto, conheci muitos casais, inclusive do mundo, que manteve um ótimo relacionamento apesar dos extremos geográficos. Uma de minhas operadoras namora com um rapaz de Joinville-SC e no final do ano eles vão casar e ela vai mudar pra lá. E olhem que eles são do mundo! Na organização temos responsabilidades e princípios bíblicos que ajudariam a manter a chama acesa apesar da longa separação dos pólos.

Bem, o lance da distância também nos protege de algumas coisas. Ficar junto demais pode ser perigoso para calmaria dos hormônios e a saúde espiritual. Também não há aquela história de ficar acompanhando de perto os passos um do outro. Exemplo: se alguém distante diz que vai pro cinema com as amigas, você diz "tudo bem, amor"; mas se vocês morassem na mesma cidade, com certeza você se perguntaria: "Ué, porque elas e não eu?".

Eu sei que não tenho muita moral pra falar de relacionamentos, mas achei realmente interessante a história dessa minha colega de trabalho. Eu me lembro que no início eu até desestimulei-a em manter essa relação com esse rapaz ("menina, o cara é bonito, sozinho lá no Sul, você acha que vai dar certo?"). E não é que deu?

4 comentários:

  1. Você tem que se permitir... Conheço muitos casais que se conheceram pela internet, se casaram e vivem muito bem.
    Pela internet acontece, mas você pode encontrar a mulher da sua vida na sua congregaçao, quem sabe?
    Talvez você já a conheça, porém ainda não sabe que "é ela"!
    Calma...você ainda é um "adolescente"...;)

    ResponderExcluir
  2. RsRsRS...Será q existe msm a "pessoa da sua vida", aquela q nasceu pra vc???E se vc nunca encontrar???será q já morreu e não deu tempo de conhecer...Mas como é bom estar amando...Mas acho q qnt mais se pensa nisso, mais em desespero se entra...hihihi

    ResponderExcluir
  3. (Anonimo) Na minha congregação só há irmãs que eu amo muito. (remoi) Pois é... pois é...

    ResponderExcluir
  4. Me apaixonei por você desde que te vi pela primeira vez, em uma foto no orkut, isso só aumentou quando passei a conversar com você no msn,
    e vi que vc é uma pessoa maravilhosa, e um cristão exemplar.
    Ou seja, menor chance!!!
    Neste caso melhor a distãncia mesmo!!!
    Sou TJ a dez anos, e agradeço a Jeová por ter te conhecido, mesmo que seja só pela internet.
    Tenho o imenso prazer de tê-lo como meu amigo!!!
    E quem sabe um dia vamos nos conhecer enh?
    bjs

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.