sexta-feira, 29 de dezembro de 2006

[ Qual seu Dom? ]

O apóstolo Paulo falou de dons, que cada um possuía, que se caracterizariam os servos de Jeová individualmente e que eles seriam abençoados por buscar aprimorá-los cada vez mais. [1 Cor. 7:7] Assim, pergunto novamente qual o seu dom?

Alguns tem o dom de pregar e são pioneiros exemplares nestes sentido, outros tem o dom de proferir excelentes discursos, alguns outros tem o dom administrativo, ou seja, fazem o trabalho administrativo da congregação como ninguém, uns gostariam de estar num território isolado, outros acham melhor continuar numa grande congregação cuidando dos rebanhos urbanos, outréns preferem servir em Betel, enfim, cada um com seu dom, cada um com sua peculiaridade e servindo a Jeová como um todo.

O que é mais interessante é que Paulo nos deu uma visão bastante singular sobre este assunto. Embora precisemos melhorar em todos os aspectos da nossa adoração, o dom nos faria ser melhor em algo e não necessariamente em outro. Por exemplo: uma pessoa pode ser um ótimo pregador das boas novas mas por não saber lidar direito com as pessoas pode não ser um bom ancião por exemplo; ou então ele pode se sair melhor proferindo discursos bíblicos numa congregação emocionando e incentivando a todos, mas não ser tão ágil assim com as palavras ao pregar e dirigir um estudo bíblico. Isso não é pecado; é biblico. Você apenas tem o seu dom. [1 Cor. 14:13-19]

No meu caso, por exemplo, me saio muito bem como orador, mas sou um péssimo pregador. Quando estou numa tribuna proferindo um discurso, parece que as palavras fluem naturalmente. Eu consigo olhar para cada rosto, cada pessoa sentada na assistência e saber exatamente aquilo que elas precisam ouvir. Tudo bem que toda vez que faço um discurso, concluo como um pacto com Jeová para que eu possa fazer isso da melhor maneira possível, segundo a Sua vontade [Mat. 26:39]

Por outro lado, não me acho um bom pregador. Alguns diriam que sim, porque sou comunicativo; mas não sou. Eu me embolo todo quando entro em situações de objeções, eu não sei quais as palavras certas, qual o texto mais adequado, eu não consigo encantar tanto das pessoas como consigo ao proferir um discurso. Ficava bastante triste comigo mesmo até que observei um irmão que é justamente o contrário de mim. As pessoas dizem que seus discursos não agradam, são fracos, que se esforçam para não dormir, no entanto como pregador, caramba, esse é irmão é fera! Tem horas que eu ficava olhando para ele admirando a forma como pregava, os textos corretos, adequados, ele sabia exatamente o que dizer e a hora em que dizer. Não é à toa que ele é pioneiro regular e possui varios estudos bíblicos.

Siginfica isso que ele deveria desistir da condição de orador público? Eu deveria dar adeus à minha de pregador das boas novas? Não. Estes são apenas os dons. Algo que não precisa ser aprimorado pois ocorrem naturalmente. Se possuímos estes dons, precisamos ajudar a outros neste sentido. Assim, conversa vem, conversa vai comentei: Fulano, eu fico maravilhado com sua forma de pregar... queria ser assim. Que é isso irmão, eu é fico admirado com seus discursos. Gentilezas pra lá, cavalheirismo para cá, chegamos a um consenso: Me dá umas dicas de como pregar e eu te dou umas dicas de como fazer um bom discurso.

E assim vamos utilizando nossos dons para fazer aquilo que é mais importante em nossas vidas: procurar o melhor meio de adorar a Jeová e glorificar seu filho, Jesus.

4 comentários:

  1. É verdade, todos nós temos dons, e, é bom que por vezes sejam diferentes, afinal somos um corpo. Assim, um complementa o outro e como cojunto conseguimos atingir com a ajuda de Jeová o nosso objetivo de adorá-lo e render louvor ao seu nome.

    ResponderExcluir
  2. parabéns..foi muito objetivo e claro para mim sua colocação para "dons", me ajudou bastante, seria bom se todos interpretassem dessa forma.
    Antonia

    ResponderExcluir
  3. Em 1973 no congresso internacional "Justiça Divina" a mãe do cantor Roberto Carlos se fez presente, claro que estar presente em um congresso não torna ninguém testemunha de Jeová, mas cria-se um mito!

    ResponderExcluir
  4. é importante usarmos nossos dons para melhor servir a JEOVÁ e assim crescermos juntos na adoração verdadeira do nosso pai celestial, fortalecendo uns aos outros.

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.