sábado, 7 de junho de 2008

[ Depressão ]




“Isso é frescura!”

“Coisa de gente fraca”

“Tira uma carta de pioneiro, que isso passa!”





Quem, que sofre de depressão, seja ela profunda ou superficial, nunca ouviu uma frase dessa? Eu já ouvi tantas vezes – incluindo em algumas crises descritas neste blog – que já perdi as contas. A depressão sempre era associado à uma problema trivial, “frescura” ou fraqueza espiritual. Vale frisar, que não foi por falta de aviso, mas simplesmente por causa de um paradigma que de vez em quando surge entre nós.


A primeira vez que o Escravo citou a depressão como doença foi na década de 70, mais precisamente num artigo de A Sentinela intitulado “Alivio da Depressão” de 1º de novembro de 1971. Quatro depois, num artigo “Depressão – Por que aflige milhões?”, já se demonstrava preocupação com o assunto. Na década de 90 veio a Globalização, e com ela a concorrência gerada pelo capitalismo. Enquanto muitos conseguiam o sucesso profissional, outras caiam no limbo, numa espécie de “Seleção Natural Darwiniana” para o mundo dos negócios e das ações na bolsa. Os que ficavam para trás, caíam no desespero e na frustração, mesmo que o fracasso fosse apenas uma diferença de milhares no lucro de milhões. Como num efeito dominó, a Depressão acabou contaminando as pessoas comuns, até se tornar na doença alarmante que conhecemos hoje.


Hoje em dia a depressão pode vir de vários motivos. Há a depressão física, que é mais grave e tem que ser tratada por especialistas, e a chamada “depressão mental”, causadas por fatores como baixa auto estima, frustração, decepção e humilhação de terceiros. Coisas que em pequena quantidade são passageiros, mas que com o passar do tempo, sua freqüência acaba se tornando depressão. Infelizmente, nestes casos, a maioria das pessoas tratam como se fossem “frescura”.


Esta semana todos nós tivemos uma abordagem sobre depressão graças à uma carta enviada às congregações para serem consideradas em “Necessidades Locais”. Gostei da abordagem, digamos, específica. Alertou para os demais que a depressão é um caso sério e precisa ser tratado com carinho e amor. Não se trata de fraqueza espiritual, como se “tirar uma carta de pioneiro” resolvesse todos os problemas. Pense nisso, quando lembrar que milhares de pessoas já se suicidaram física ou espiritualmente, porque ser considerada fraca ou fresca por aqueles que deveriam ajudar.

2 comentários:

  1. é iisso ai irmao; eu fiz essa parte, achei sup importante o escravo abordar esse tema, mostra o q a depressao realment é: uma doença mental e quimica e nao espiritual

    ResponderExcluir
  2. É isso ai mano.... voltei hein
    Tambem tive o privelégio de proferir esse discurso e olha, os irmãos ficaram aliviados em saber com Jeová encara aqueles que sofrem desse mal. Valeu Andre que Jeová continue te abençoando e cuidando de ti no divã da enfermidade.

    ResponderExcluir

TODOS COMENTÁRIOS SÃO MODERADOS. (1) Não tiro dúvidas sobre doutrinas cristãs (2) Não permito ofensas, palavrões ou termos vulgares. (3) Não é permitido proselitismo, apostasia, contudo, aceitamos bons argumentos.